Compartilhe com seus seguidores
A A A

Saiba como se proteger de vazamentos de dados

Roseli Andrion, editado por Elias Silva 06/06/2020 19h00

Você tem ideia de quantos cadastros já preencheu online? Sabe quantos estabelecimentos físicos ou virtuais, públicos e privados, têm seus dados registrados? Seria capaz de ir a cada um deles para remover suas informações? É pouco provável que você tenha esse controle.

E o pior: graças a isso, a qualquer momento, suas informações podem ser expostas. Apesar das políticas de privacidade das empresas – e aqui entra qualquer estabelecimento que armazene dados, tanto de funcionários quanto de clientes e parceiros –, os vazamentos de dados têm sido, infelizmente, muito comuns. É preciso, então, saber como se proteger desses episódios.

Aqui no Olhar Digital, divulgamos vários vazamentos de dados que ocorreram em 2019 – a maior parte das ocorrências envolvia grandes companhias e órgãos governamentais. Isso acontece porque é comum que os ambientes corporativos, seja no serviço público, seja nas empresas privadas, tenham vulnerabilidades e que elas seja exploradas por criminosos.

Essa não é, entretanto, a única possibilidade. A maior parte dos indivíduos negligencia as próprias informações e pode expô-las até espontaneamente. Quer ver? Como você trata suas senhas, por exemplo? Usa a mesma combinação para diferentes serviços? Esse é um erro muito frequente, que deve ser evitado a todo custo –se um criminoso virtual tiver acesso a esse código, pode usá-lo em diferentes ocasiões.

Outra situação comum é o uso do phishing: por meio dele, os criminosos virtuais obtêm os dados dos indivíduos facilmente. Essa técnica usa e-mails e mensagens falsos que direcionam a websites ilegítimos, onde os dados do usuário são obtidos sem qualquer resistência.

Nessas páginas, ele é induzido a fornecer suas informações pessoais para ganhar um brinde ou comprar um produto por um preço improvável. Ou seja, uma oferta imperdível o faz oferecer suas informações voluntariamente.

Segundo a Kaspersky, o Brasil é o líder mundial do ranking de países com mais usuários atingidos por phishing. Somente em 2019, houve 63.159.170 desses ataques por aqui – isso representa uma média de 173.038 ataques por dia.

E tem mais: quer saber outro descuido comum e que você provavelmente comete frequentemente? Pense: quando chega a locais desconhecidos, você pede a senha do Wi-Fi? A facilidade proporcionada pela internet rápida e gratuita pode ter um custo alto: a partir do momento que se entra na rede, todos os dados passam a trafegar ali.

Além de proteger seus dados, é essencial ficar atento a como as empresas tratam suas informações. Isso porque, a partir de agosto de 2020, as companhias têm de estar preparadas para as determinações da Lei Geral de Proteção de Dados, a LGPD.

E isso significa que elas são responsáveis pelos dados dos clientes e pelo que acontece com eles. Então, quem tiver informações expostas a partir dessa data, tem o direito de ser informado pela empresa sobre o fato.

Outra fonte de vulnerabilidade em 2020 deve ser o Windows 7: como o suporte técnico ao sistema termina em janeiro, suas brechas de segurança podem ser usadas em ataques. Além disso, os cada vez mais populares serviços de streaming (como Netflix e Spotify, entre outros) devem ser alvo constante, já que a venda de senhas em mercados ilegais é um bom negócio.

Para se prevenir, avalie seu comportamento online e a forma como trata seus dados pessoais. É a partir daí que você pode identificar se está ou não mantendo-os adequadamente preservados. E lembre-se: todas as suas informações são igualmente importantes e devem ser protegidas adequadamente.

Olhar Digital Antivírus Kaspersky Olhar Digital Plus vazamento de dados Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais proteção de dados eset
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você