Curso gratuito ensina crianças a criarem seus próprios videogames

Ao mesmo tempo que essa criançada dá um passo maior em direção ao futuro, eles ainda são muito novos para saber com o que vão trabalhar ou muito menos o que pretendem fazer para o resto da vida…

Melhor que não saibam mesmo, pelo menos por enquanto. Bom é continuar criança! Nascidos no século 21, mergulhados em tecnologia por todos os lados, o interesse pelo mundo digital começou cedo. Entre eles, não só pelo uso e consumo, mas em entender “de verdade” como essas coisas funcionam. Os cinco pequenos fazem parte da segunda turma de um curso gratuito sobre os fundamentos de programação que ensina a criar seus próprios videogames.

Como era de se esperar, a desenvoltura de todos eles é tão grande com tecnologia, que dar os primeiros passos pelo mundo do desenvolvimento não é nenhum bicho de sete cabeças.

O curso gratuito é ministrado em quatro aulas e um total de seis horas de aprendizado. A ideia é dar um gostinho do que o ensino da programação e robótica pode significar para as crianças. Na Coréia do Sul, por exemplo, a programação (assim como o inglês) faz parte do currículo escolar infantil. No Reino Unido também; desde 2014. O Brasil também já entendeu a importância de ensinar a linguagem dos computadores desde cedo e deu os primeiros passos. Algumas escolas particulares já oferecem a disciplina que, ao que tudo indica, deve se tornar obrigatória em um futuro bastante próximo.

Aqui nesta escola especializada em robótica e programação para crianças entre 7 e 13 anos, eles introduzem os pequenos através de uma plataforma aberta de desenvolvimento desenvolvida pelo Instituto de Tecnologia de Massachussets, o famoso MIT.

O mais legal (e curioso) é que se engana quem pensa que são os pais que insistem para eles virem para cá - como sempre fizeram para incentivar um curso de idiomas ou qualquer coisa extra curricular. Cada vez mais antenadas e online, as próprias crianças descobrem a oportunidade e convencem seus pais de que vale a pena…

Se vale ou não a pena já não é mais discutível. Em um mundo cada vez mais digital e controlado por máquinas e tecnologia, programar é, sem dúvida, mais uma linguagem necessária para nossos futuros médicos, engenheiros ou seja lá o que eles decidirem quando já não forem mais crianças. Sem dúvida, a ciência da computação vai ser uma ferramenta para que esses jovens tenham um melhor desenvolvimento profissional e criativo quando for a hora!