Hackers

Advogado é condenado por extorquir pessoas que piratearam pornografia

Bruna Lima, editado por Rui Maciel 19/06/2019 11h48
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Ele gerenciava um esquema para produzir e vender conteúdo adulto e depois ameaçava as vitimas que baixavam o material em sites como o Pirate Bay

Um dos casos mais estranhos de pirataria dos últimos anos chegou ao fim. O advogado americano Paul Hansmeier, dirigiu um esquema de extorsão que compartilhava cópias de filmes pornográficos on-line e depois processava pessoas que as baixaram por violação de direitos autorais. Ele foi condenado pelo crime e sentenciado em 168 meses.


Acredita-se que ele tenha levantado cerca de US$ 3 milhões a partir das chantagens, junto com seu cúmplice, em um período de três anos. O outro advogado envolvido era John L. Steele. Juntos, eles planejaram extorquir dinheiro das vítimas com "pagamentos de acordos legais". Em primeiro lugar, eles se dedicaram a obter os direitos de material pornográfico e, em alguns casos, até mesmo a produzi-lo, por meio de empresas fantasmas, que então enviavam para sites de troca de arquivos, como o The Pirate Bay.

Uma vez que as pessoas baixaram ilegalmente os vídeos, elas eram submetidas a ações de direitos autorais para descobrir as identidades de suas vítimas, através de seus provedores de serviços de Internet. Então, agindo como um escritório de advocacia, eles ameaçavam as vítimas com um processo e as pressionavam para resolver as disputas fora dos tribunais. Caso contrário, elas arriscariam ter seus nomes publicamente associados à pornografia.

O esquema foi desmascarado porque algumas vítimas se recusaram a resolver e decidiram lutar contra a reivindicação de direitos autorais no tribunal.

A juíza distrital Joan Ericksen, que sentenciou Hansmeier na sexta-feira (14), disse a ele que era "quase incalculável o quanto seu abuso de confiança prejudicou a administração da justiça no país". Além de defraudar centenas de vítimas, os promotores disseram que Hansmeier tentou destruir a evidência e mentiu aos juízes.

No ano passado, o criminoso se declarou culpado de uma acusação de conspiração para cometer fraude por correspondência, e outra acusação de fraude eletrônica e conspiração para cometer lavagem de dinheiro. Agora, ele foi condenado a pagar restituição de aproximadamente US $ 1,5 milhão. O outro acusado, John Steele, que se declarou culpado das mesmas acusações em 2017, deve ser sentenciado no próximo mês.

 

Via: Star Tribune

Pornografia cibercrime
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você