Amazon Web Services

Amazon não influenciou disputa contratual no Pentágono, diz juiz

Redação Olhar Digital 15/07/2019 10h07
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Empresa concorrente, Oracle, alegou que o Departamento de Defesa e a Amazon influenciaram a decisão por causa de um conflito de interesse relacionado a um antigo funcionário.

A justiça federal decidiu na sexta-feira (12) que a Amazon não influenciou indevidamente na licitação por um contrato de 10 bilhões de dólares com o Pentágono. A empresa concorrente, Oracle, havia alegado que o Departamento de Defesa (DOD) e a Amazon tornaram a disputa tendenciosa por um conflito de interesse relacionado a um antigo funcionário.


O Pentágono decidiu contratar os serviços de apenas uma das empresas, ao contrário de outras grandes organizações que preferem trabalhar com vários servidores de nuvem. E, segundo a Oracle, essa foi a escolha que favoreceu o Amazon Web Services, o maior provedor de serviços em nuvem. Além disso, segundo a acusação, um ex-funcionário da JEDI e agora trabalhador da Amazon teria sido fundamental para a decisão do Pentágono de contratar um único provedor de nuvem.

Grande parte do argumento da Oracle centrou-se nesse funcionário chamado Deap Ubhi, que trabalhava para a Amazon, antes de ingressar no Pentágono. Ele ficou apenas alguns meses e depois retornou para a varejista online.

A Amazon argumentou que o Pentágono identificou 72 pessoas substancialmente envolvidas no desenvolvimento do contrato e seus requisitos, e que Ubhi trabalhou no JEDI por apenas sete semanas, nos estágios iniciais do projeto. Por fim, o juiz Eric Bruggink, do Tribunal Federal de Reivindicações Federais, concluiu que não existiu uma influência.

A decisão divulgada na sexta-feira "reafirma a posição do DOD", disse Elissa Smith, porta-voz do Pentágono. "O processo de aquisição da JEDI Cloud foi conduzido como uma competição justa, completa e aberta, que o contratante e sua equipe executaram em conformidade com a lei".

Doug Stone, um porta-voz da Amazon, disse em um comunicado que a empresa "está pronta para apoiar e servir o que é mais importante - a missão do DOD de proteger a segurança de nosso país". O contrato da JEDI tem o objetivo de trazer os militares para a era moderna da computação em nuvem.

A Oracle, IBM, Microsoft e Amazon ofereceram-se para fornecer a tecnologia. Porém, em abril, o Pentágono decidiu que apenas as duas últimas teriam capacidade de realizar o serviço. A Oracle também desafiou o método que o Pentágono usou para avaliar os licitantes, ao contrário do juiz, que os achou válidos.

Por enquanto, a Oracle não tem muitos meios de desafiar a abordagem da licitação do Departamento de Defesa, já que o contrato ainda não foi adjudicado. Isso acontecerá, provavelmente, apenas em agosto.

Via: New York Times

Microsoft Serviços Servidores Amazon IBM Oracle Nuvem IBM Cloud computação na nuvem EUA computação em nuvem Amazon Web Services pentagono
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você