galaxy note 10

Samsung revela o Galaxy Note 10 e Galaxy Note 10+

Rafael Rigues, editado por Liliane Nakagawa 07/08/2019 17h30
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Aparelho chega à nona geração com design mais esbelto, uma nova S Pen e os processadores mais poderosos do mercado

A Samsung anunciou nesta quarta-feira (7), em evento realizado em Nova York, o lançamento de seus novos "carros-chefe" para o restante do ano de 2019. São eles, o Galaxy Note 10 e o Galaxy Note 10+, mantendo suas principais características: a tela grande e a caneta S-Pen, que permite interações únicas com o celular.


O caçula da família é o Galaxy Note 10, com uma tela de "apenas" 6,3 polegadas com bordas mínimas e o design "Infinity O" (com um "buraco" para a câmera) que a Samsung já usou no Galaxy S10e, S10 e S10+. Entretanto, desta vez o buraco é centralizado na parte superior da tela, em vez de alinhado à direita como anteriormente. 

O aparelho também tem 8 GB de RAM, 256 GB de memória interna e bateria capacidade de 3.500 mAh com suporte a carregamento rápido sem fios, a 12 Watts. Na traseira, o Galaxy Note 10 tem um sistema com três câmeras, sendo uma delas de 12 megapixels com abertura ajustável de f/1.5 ou f/2.4, uma telefoto para "zoom" com abertura f/2.1 e 12 MP e a terceira é "ultra-wide", voltada para capturar imagens com maior amplitude horizontal, com 16 MP e abertura f/2.2. 

Já o Note 10+ tem uma tela maior, com impressionantes 6,8 polegadas, com resolução Quad-HD+ (3040 x 1440). É quase o tamanho da tela de tablets Android como o Nexus 7, que tinha 7 polegadas, mas com a vantagem. Além disso, vem com 12 GB de RAM, 256 GB ou 512 de armazenamento interno, uma bateria de 4.300 mAh, recarga wireless ainda mais rápida, a 20 Watts, e recarga via USB-C a 45 Watts. 

Reprodução

As câmeras também sofrem um upgrade, com quatro lentes. Três delas são iguais às do Note 10 comum, mas o quarto sensor é especial. Trata-se de um sensor ToF ("time-of-flight", ou "tempo de voo"), que serve para reconhecimento de profundidade para ajuste de foco, por exemplo, ou aplicações de realidade aumentada. 

Ainda sobre as câmeras, a Samsung destaca em ambos os modelos um recurso que permite criar um efeito bokeh (aquele fundo desfocado, também conhecido como "modo retrato") durante a gravação de vídeos em tempo real. Além disso, os aparelhos contam com um recurso chamado Audio Zoom, que utiliza três microfones em conjunto para entender melhor a direção de onde vem o som, o que permite focar melhor em uma única fonte.

Como de costume, nos EUA os Galaxy Note 10 serão baseados no processador Snapdragon 855, da Qualcomm, mas em algumas regiões eles contarão com o recém-anunciado processador Exynos 9825, da própria Samsung, um SoC (System on a Chip, Sistema em um chip) octa-core que inclui dois núcleos "Mongoose" personalizados, dois núcleos Cortex-A75 e quatro núcleos Cortex-A55. A GPU é a Mali-G76 MP12, e há suporte para armazenamento UFS 3.0, o que garante melhor desempenho na leitura e escrita de dados, e gravação de vídeo em até 8K. Para garantir a alta potência mesmo sob condições mais exigentes, a Samsung também implementou um sistema de resfriamento a câmara de vapor, o que evita o aquecimento do processador mesmo durante partidas de games mais pesados.

A baixa do Note 10 é a ausência de entrada de fones de ouvido. A Samsung segurou a onda por muitos anos, enquanto a maior parte do mercado seguia a tendência ditada pela Apple de remover a entrada P2 para dar mais espaço para outros componentes. Segundo a coreana, o conector foi removido para dar lugar a uma bateria maior. 

Versão 5G

A Samsung também apresentou uma terceira versão de seu top de linha. Trata-se do Galaxy Note 10+ 5G, que, como o nome indica, traz a vantagem de ser compatível com as redes de internet móvel de quinta geração. 

Ao contrário do que a Samsung fez com o Galaxy S10 5G, que tinha alguns recursos exclusivos em comparação com o S10 e o S10+ convencionais, em especial o sensor time-of-flight para reconhecimento de profundidade, o Note 10+ 5G não tem nenhuma vantagem de hardware em comparação ao seu irmão 4G. A única vantagem é a conectividade 5G.

Nova S-Pen 

O principal destaque da linha Galaxy Note sempre foi a caneta inclusa, a S Pen. Nos Galaxy Note 10 ela ficou ainda mais poderosa: graças aos novos sensores integrados, ela ganhou o recurso S Pen Air Actions, que permite comandar o smartphone à distância com gestos no ar, seja para trocar os modos da câmera, ajustar o zoom ou tirar uma foto, ou controlar a reprodução de um vídeo. 

A nova S Pen foi apresentada ao mundo alguns dias antes do Galaxy Note 10, no tablet Galaxy Tab S6. Lá, ela se conecta ao tablet via Bluetooth, e tem bateria interna recarregável sem fio, com autonomia para 10 horas de uso com apenas 10 minutos de carga. 

Design e preço

Reprodução

Os Galaxy Note 10 estarão disponíveis nas cores preto, branco, azul, vermelho, rosa e até mesmo uma versão "furta-cor", com a S Pen combinando com a cor do aparelho. Os smartphones chegam às lojas em 23 de agosto, o Galaxy Note 10 custará a partir de US$ 950, enquanto que a sua versão plus de 256 GB não sai por menos de US$ 1.100; quem quiser, pode pagar US$ 100 a mais pela versão do Note 10+ com 512 GB.

Já o Galaxy Note 10+ 5G chega ao mercado custando US$ 1.300 pela versão com 256 GB de armazenamento interno. Se o comprador preferir a versão de 512 GB de armazenamento, ele custará US$ 1.400.

Ainda não há informações sobre preço ou data de lançamento do aparelho no Brasil.


Samsung Phablet galaxy note smartphone Galaxy Note 10 Celular
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você