Urna eletrônica

Como o Facebook pretende 'proteger' as eleições no Brasil

Daniel Junqueira 25/07/2018 10h15
Compartilhe com seus seguidores
A A A

O Brasil vai eleger um presidente em outubro, e o Facebook quer contribuir para o debate político durante a campanha eleitoral que começa em agosto. A rede social anunciou uma série de medidas que vão ser colocadas em práticas na tentativa de proteger as eleições brasileiras, com objetivo de identificar propagandas eleitorais e combater a disseminação de informações falsas.


As ações do Facebook visam também proteger a rede social de possíveis críticas por uma suposta influência no resultado dos pleitos. Nos últimos anos, a empresa foi acusada de ter sido usada para manipular a opinião pública, o que ganhou força após a revelação de que a consultoria política Cambridge Analytica, envolvida na eleição de Donald Trump nos Estados Unidos e também na votação da saída do Reino Unido da União Europeia, teve acesso indevido a dados de usuários da rede social.

O programa do Facebook para as eleições brasileiras se apoia em três frentes: identificação de propaganda eleitoral, combate às fake news, e incentivo ao debate político. Confira abaixo como a rede social pretende agir dentro desses três eixos:

Anúncio político identificado

A partir de 16 de agosto, quando a campanha eleitoral será oficialmente iniciada, o Facebook vai começar a ser inundado por anúncios políticos. Para garantir que os usuários saibam que estão vendo uma propaganda paga por um partido o um candidato, o Facebook vai exibir logo abaixo da postagem informações do CNPJ responsável pelo pagamento do impulsionamento do post e também qual partido está por trás daquilo.

Os anunciantes políticos vão passar por um processo de seleção rigoroso: só pessoas no Brasil vão poder pagar por anúncios, e só depois de enviar documentos para a rede social e também confirmarem que estão localizados em nosso país.

Além disso, o Facebook vai criar um arquivo de anúncios políticos que vai poder ser acessado ao longo de sete anos. Nele, usuários vão poder pesquisar propagandas que sejam relacionadas a política ou temas de importância nacional, além de conferir o valor gasto na promoção delas.

Luta contra fake news

Um assunto bastante discutido na atualidade é a questão das fake news - notícias com conteúdo falso ou distorcido que são usadas para atacar políticos ou posições políticas, ou então promover ideias com base em desinformação. O Facebook sabe que é uma plataforma propícia para a disseminação das fake news, e por isso anunciou algumas medidas para ao menos minimizar os danos que elas podem causar nas eleições.

Ao lado de instituições de checagem de fatos e também de conscientização sobre fake news, a rede social planeja avisar usuários de notícias com informações falsas e também ensiná-los a detectar quando dados distorcidos são compartilhados pela plataforma.

O combate a fake news pelo Facebook já vem sendo colocado em prática há algum tempo com ajuda de agências de checagem de fatos, e essa parceria vai continuar durante o período eleitoral.

Debate político de qualidade

O Facebook também vai tomar algumas medidas com objetivo de enriquecer o debate político e aproximar eleitores de potenciais candidatos. Uma nova aba chamada "Temas" vai ser adicionada para ajudar usuários a conhecerem políticos e entenderem a visão deles em temas como educação, emprego, segurança e economia.

Outra área nova chamada "Town Hall" vai ajudar quem quiser localizar, seguir e contatar representantes. Por fim, um botão vai ser adicionado à rede social próximo ao dia de eleição para redirecionar usuários para páginas de autoridades eleitorais com informações úteis.

Facebook Brasil eleições
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você