reconhecimento de voz

Criminosos clonam voz de CEO de empresa e roubam mais de R$ 1 milhão

Clara Guimarães, editado por Renato Santino 02/09/2019 14h53
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Fraudadores tentaram repetir a ação, mas executivo da empresa desconfiou que tinha algo errado

Um caso de fraude de voz gerou um prejuízo de US$ 243 mil para empresa alemã. De acordo com reportagem do The Wall Street Journal na sexta-feira (30), os criminosos utilizaram um software de inteligência artificial (IA) de geração de voz para se passar pelo CEO de uma companhia alemã dona de uma subsidiária de energia no Reino Unido.


Segundo a reportagem, os fraudadores buscaram pelo software de IA em março para imitar a voz do CEO alemão e, em seguida, fizeram a ligação para o CEO da subsidiária no Reino Unido. Eles pediram que o funcionário transferisse fundos para um fornecedor húngaro imediatamente, com a garantia de que o dinheiro seria reembolsado.

Ao escutar o familiar sotaque alemão de seu chefe na ligação, o executivo não suspeitou de nada e realizou a transferência. Mas não apenas o dinheiro não foi reembolsado, como os fraudadores solicitaram outra transação urgente. Desta vez, porém, o CEO britânico se recusou a fazer o pagamento.

Acontece que os fundos que o CEO transferiu para a Hungria foram transferidos para o México e para outros locais. As autoridades ainda precisam determinar os culpados por trás da operação do crime cibernético

A empresa estava segurada pelo Euler Hermes Group, que cobria todo o custo do pagamento, então não houve prejuízo real. Os nomes da empresa e das partes envolvidas não foram divulgados.

Com o deepfake e os softwares imitadores de vozes ficando cada vez mais precisos, é difícil não temer as futuras consequências do uso da IA. Inclusive, se os ataques de engenharia social dessa natureza forem bem-sucedidos, eles deverão aumentar em frequência.

No ano passado, a Pindrop, uma empresa de cibersegurança que cria software de voz antifraude- relatou um salto de 350% na fraude de voz entre 2013 e 2017, com uma em 638 chamadas relatadas tendo sido criadas sinteticamente.

Inteligência Artificial empresa cibercrime cibersegurança falha de segurança Deepfake crime cibernético
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você