Departamento de Defesa dos EUA decide que é hora de abandonar os disquetes

Um relatório da Secretaria de Contabilidade do Governo dos Estados Unidos (GAO, na sigla em inglês), publicado esta semana, mostra que o Departamento de Defesa dos EUA ainda depende de tecnologia ultrapassada para operar algumas importantes funções. É tanto que o Pentágono e outras agências de segurança decidiram só agora parar de usar disquetes como armazenamento de alguns arquivos.

A ordem partiu agora, mas as agências estimam que só vão conseguir acabar com o uso dos chamados "floppy discs" no ano que vem. Além disso, alguns departamentos ainda usam computadores como o IBM/Series 1, fabricado em 1976, enquanto outros setores de TI afirmam, neste mesmo relatório, usar tecnologia datada em pelo menos 50 anos.

Questionado, o Pentágono disse apenas, por meio de um porta-voz, que ainda usa esses sistemas antigos porque, "em resumo, eles ainda funcionam". De acordo com a GAO, o governo gasta mais de US$ 60 bilhões por ano na manutenção de equipamentos ultrapassados, enquanto apenas US$ 19 bilhões são investidos na modernização desses sistemas.

O Pentágono diz ainda que um uso comum dos disquetes é, por exemplo, armazenar unidades de comando e controle do seu programa nuclear. O governo norte-americano promete que um plano de modernização já foi acionado e que espera não depender mais de disquetes ou outros dispositivos desatualizados até 2020.

Via The Verge

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ