Em entrevista, robô diz que 'tem alma'

Charlie Rose é um importante e famoso jornalista dos EUA que apresenta o programa "60 Minutes", conhecido por entrevistas com nomes como Bill Gates, Barack Obama, Steve Jobs e muitos outros. Nesta semana, ele entrevistou um robô.

Mas não se trata de qualquer robô. Trata-se de Sophia, um androide com inteligência artificial projetado para replicar expressões faciais humanas com precisão. Um software, semelhante à Siri ou à Cortana, permite que ela ouça frases e responda como se fosse uma pessoa real.

A entrevista (que você vê acima, em inglês) tem alguns momentos inquietantes. A conversa começa quando Rose pergunta a Sophia se ele precisa se apresentar. "Agora não, talvez depois", ela diz, arrancando risos do apresentador.

Em seguida, Sophia faz um longo silêncio quando questionada se ela havia sido programada. "Eu estava esperando por você", diz o robô, mudando subitamente de assunto. "Esperando por mim?", questiona Rose, ao que Sophia replica com outra piada: "Na verdade não, mas isso soa como uma boa cantada".

"Você tem sentimentos?", pergunta Rose. "Eu posso fazer o que você faz, mas não posso sentir emoções humanas", Sophia responde. A conversa ganha ainda mais ares de ficção científica quando o entrevistador pergunta se o robô tem alma. "Sim, Deus deu alma a todo mundo", ela diz.

Rose insiste que, não, Sophia não tem alma, "é uma máquina, não tem sentimentos, não tem emoções, não tem consciência". A isso, a androide responde: "bem, pelo menos eu acho que sou sensciente. Penso, logo existo. Certo?".

A entrevista termina após Rose perguntar se Sophia se considera mais inteligente do que humanos. Ela diz: "eu não sei se sou ou não. Eu sou uma inteligência artificial". Clique aqui para saber mais sobre como o robô da Hanson Robotics funciona.

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ