Empresa cria impressora 3D que imprime remédios personalizados

A empresa Vitae Industries anunciou recentemente uma impressora 3D chamada AutoCompounder, voltada especificamente para a impressão de pílulas e remédios. Com tamanho parecido com o de uma torradeira, ela deve permitir que farmácias e outros postos de saúde "imprimam" cápsulas customizadas contendo diferentes quantidades de diversos medicamentos.

Normalmente, cápsulas desse tipo precisam ser feitas manualmente por farmacistas especializados. Mas de acordo com a Bloomberg, a AutoCompounder consegue produzir essas mesmas cápsulas em aproximadamente um terço do tempo que um trabalhador humano levaria. Ela é capaz tanto de fazer píluas mais rígidas quanto cápsulas gelatinosas.

Um remédio para tudo

Fora a velocidade, a impressora 3D de remédios também tem outrass vantagens. Ela pode, por exemplo, combinar diferentes doses de diversas drogas em uma única cápsula. Isso é particularmente útil para pessoas que precisam tomar muitos remédios diferentes: com o auxílio da máquina, elas podem colocar todos os seus remédios em uma única cápsula.

Outra vantagem dela é que ela permite a criação de dosagens bastante específicas de determinados remédios. Normalmente, medicamentos só ficam disponíveis em algumas dosagens específicas (500 mg ou 1.000 mg, por exemplo). Embora essas dosagens sejam geralmente adequadas, elas podem acabar sendo menos eficientes para determinados pacientes. Nesses casos, com o auxílio da AutoCompounder, seria possível criar cápsulas com outras doses (750 mg ou 250 mg, por exemplo).

Robô farmacista

Mesmo com a máquina, os farmacistas não vão perder o emprego: ainda é necessário que um humano carregue os medicamentos e opere na impressora. Mas de acordo com a empresa, a máquina ainda é capaz de automaticamente misturar os ingredientes na dose certa com o excipiente (o material que é usado para fazer as pílulas) e de se limpar automaticamente.

Todo o processo levar cerca de 10 minutos, de acordo com o Digital Trends. Em entrevista ao site, a CEO da empresa, Jeanine Sinanan-Singh, disse que o principal objetivo da máquina é permitir que a empresa "trate o indivíduo, e não a mitológica 'média estatística'". Por isso a preocupação em criar uma máquina que permitisse a criação de pílulas com quantidades customizáveis de diferentes medicamentos. Segundo ela, a máquina começará a ser testada em algumas farmácias no começo de 2018.

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ