mark zuckerberg facebook segurança

Facebook reserva US$ 3 bilhões da sua receita para pagar multas por violação de privacidade

Beatriz Trevisan, editado por Rui Maciel 24/04/2019 21h00
Compartilhe com seus seguidores
A A A

A rede social disse ainda que estima perder até US$ 5 bilhões em penalidades diversas. No entanto, a empresa registrou um crescimento de 26% em suas vendas publicitárias.

O Facebook divulgou hoje o relatório de lucros do primeiro trimestre de 2019, que mostrou que seu sucesso financeiro continua inabalável, mesmo diante de inúmeros escândalos de violação de segurança de dados e privacidade. A empresa também anunciou decisão de reservar US$ 3 bilhões, ou cerca de 6% de seu caixa, para uma multa bilionária emitida pela Comissão Federal de Transações dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês). Espera-se que a entidade apresente a penalidade até final do ano.


A multa está relacionada, principalmente, ao envolvimento do Facebook no escândalo da Cambridge Analytica, revelado em março do ano passado, bem como a série de violações de privacidade posteriores ao caso. O escândalo ganhou repercussão mundial devido ao acesso indevido a dados de 87 milhões de usuários do mundo todo pela empresa de análise de dados. O Facebook disse ainda que estima perder até US$ 5 bilhões com penalidades financeiras.

No entanto, o valor recorde em multas do FTC não parece ter prejudicado os negócios do Facebook. A empresa ainda lucrou US$ 2,4 bilhões no primeiro trimestre e registrou um crescimento de 26% em suas vendas publicitárias. Além disso, com uma quantia já reservada para a multa, o CEO Mark Zuckerberg pode retomar seus negócios normalmente.

O relatório também mostrou o contínuo aumento no número de usuários ativos por dia e mês. A quantidade de pessoas que usou o Facebook diariamente aumentou 8% em relação ao mesmo período em 2018, alcançando 1,56 bilhão de usuários. Os acessos mensais também cresceram 8%, o que fez a rede social ter 2,38 bilhões de visitantes por mês.

Cerca de 2,7 bilhões de pessoas usam algum dos aplicativos da empresa – Facebook, WhatsApp, Instagram ou Messenger – todos os meses. Em média, mais de 2,1 bilhões de pessoas usam um desses serviços diariamente.

O Facebook aumentou a sua equipe de funcionários ano após ano em 36%, e hoje tem quase 37,8 mil empregados. Devido ao crescimento nas contratações, os custos gerais e administrativos da empresa se multiplicaram quase seis vezes, atingindo mais de US$ 4 bilhões.

Quanto às ações do Facebook na Bolsa, elas subiram quase 5% nas negociações after-market – período de negociação fora do horário regular de transações de lances de compra e venda. O crescimento indica que Wall Street não parece se importar com a avalanche de críticas na imprensa que a rede social sofreu nos últimos dois anos – contanto que seus resultados continuem melhorando.

Via: The Verge

Facebook MARK ZUCKERBERG rede social
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você