Facebook trabalhará com pesquisadores para avaliar efeitos de 'fake news'

A luta contra as “fake news” continua no Facebook, que anunciou nesta última quarta-feira, 23, que vai trabalhar com pesquisadores para avaliar os efeitos e o volume de notícias falsas presentes no feed da plataforma. Em comunicado, a empresa explica que uma comissão independente vai solicitar propostas e selecionar acadêmicos para conduzir pesquisas com ajuda financeira e acesso a dados privados da rede social.

A medida foi revelada apenas um mês após o Facebook anunciar, em uma iniciativa similar, que pediria ajuda a pesquisadores para analisar os efeitos da plataforma nas eleições. A comissão independente que vai cuidar do novo projeto é, inclusive, a mesma que foi estabelecida em abril.

De acordo com um porta-voz da empresa ouvido pelo The Verge, a comissão vai solicitar propostas de pesquisas através de um site próprio, que será lançado dentro das próximas duas semanas. As submissões serão analisadas posteriormente e os pesquisadores escolhidos receberão ajuda financeira para desenvolver os trabalhos e também acesso a dados de usuários da rede social. O Facebook garante que a privacidade será mantida – ou seja, ainda que as informações fiquem abertas para os acadêmicos, elas continuarão anônimas.

Além da novidade, a empresa de Mark Zuckerberg anunciou ainda uma nova campanha para “educar” seus usuários. A ideia é dar dicas para mostrar às pessoas como discernir uma notícia falsa de uma verdadeira. Os avisos vão aparecer no topo do feed de notícias, começando nos Estados Unidos e seguindo para outros países no decorrer do ano.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ