Patinete São Paulo

Grow volta a operar em São Paulo, mas é multada em R$ 914 mil

Beatriz Trevisan, editado por Roseli Andrion 06/06/2019 20h00
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Empresa terá de pagar R$ 819,81 por patinete apreendido pela Prefeitura mais R$ 40 mil de penalidades contra a Yellow e a Grin

A Grow, dona das marcas de patinete elétrico Yellow e Grin, obteve nesta quarta-feira (5) o credenciamento na Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) — assim, fica autorizada a operar legalmente pelas ruas de São Paulo a partir de hoje (6). No entanto, para recuperar os patinetes confiscados pela Prefeitura entre quarta (29) e sexta-feira (31) passadas, deve pagar multa de R$ 914.737,27. A companhia afirma que não foi notificada sobre a penalidade.


Como até então ela não tinha autorização legal da SMT para operar, a Prefeitura apreendeu 1.067 patinetes que circulavam na capital. Só no primeiro dia de fiscalização, foram recolhidos 557 deles. A multa equivale a R$ 819,81 por veículo confiscado (em um total de R$ 874.737,27) mais multa para a Yellow e para a Grin (R$ 20 mil cada) por terem desrespeitado o decreto. A empresa informa que a Prefeitura ainda não devolveu os equipamentos e, por isso, vai voltar às ruas com frota reduzida.

O confisco da Prefeitura começou quando entrou em vigor um decreto municipal provisório com novas regras para a utilização dos patinetes na capital paulista. A obrigatoriedade do uso de capacete e a proibição do trânsito dos equipamentos em calçadas estão entre as normas incluídas no decreto — e seu descumprimento é passível de multa.

Empresa foi à Justica

Por não concordar com a regulamentação, a Grow não a acatou. Em comunicado publicado antes das apreensões, a companhia disse que seguiria operando com base nas regras federais estabelecidas pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran), sob o argumento de que a legislação municipal difere da federal.

A empresa também recorreu à Justiça para tentar evitar a aplicação das regras que considera arbitrárias e um obstáculo para o uso de patinetes elétricos. Por enquanto, a companhia conseguiu conter a exigência de uso de capacete, em decisão tomada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), das subprefeituras e da Guarda Civil Metropolitana são os responsáveis por fiscalizar a circulação de patinetes elétricos na cidade. Novas regras devem ser editadas de maneira definitiva em até 30 dias, segundo a Prefeitura.

Depois de concluir o credenciamento, a Grow informou que vai continuar dialogando com a Prefeitura para que, em conjunto, possam encontrar soluções que correspondam aos interesses de ambos. Além disso, a companhia orienta os usuários a respeitarem as regras municipais.

Veja as orientações:

  • antes de sair, planeje o caminho;
  • respeite a velocidade máxima de 20Km/h;
  • procure usar sempre o capacete bem preso à cabeça e ajustado adequadamente;
  • não trafegue com mais de uma pessoa;
  • só use o patinete se for maior de 18 anos;
  • não circule com o patinete pelas calçadas — na ausência de ciclovia ou ciclofaixa, utilize as vias locais (aquelas que têm velocidade para carros de até 40Km/h);
  • não use celular nem fone de ouvido enquanto conduz a bike ou o patinete;
  • respeite sempre os semáforos e as sinalizações de trânsito;
  • jamais conduza o patinete se tiver ingerido álcool;
  • segure sempre o guidão com as duas mãos;
  • esteja atento a irregularidades nas vias, como buracos, bem como a galhos e árvores que possam oferecer riscos no trajeto.

Via: G1

Mobilidade patinetes elétricos mobilidade urbana yellow
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você