Instagram

Instagram já recebe mais dinheiro de publicidade do que o YouTube

Renato Santino 05/02/2020 19h20
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Aplicativo do Facebook recebeu cerca de US$ 20 bilhões de dólares em anúncios em 2019, enquanto o YouTube movimentou 'apenas' US$ 15 bilhões

Quando, em 2012, o Facebook pagou US$ 1 bilhão para ter o Instagram, muitos julgaram a quantia exagerada. Poucas apostas no mercado de tecnologia se mostram tão certas ao longo dos anos, no entanto. Estima-se que o Instagram tenha trazido US$ 20 bilhões para a empresa de Mark Zuckerberg apenas em 2019, pagando com folga o investimento do início da década.


O Facebook ainda não fala abertamente sobre os números do Instagram. A informação vem da apuração da Bloomberg, que concluiu que hoje a plataforma de vídeos e fotos já traz mais de um quarto de todo o faturamento do conglomerado, graças aos anúncios que começaram a povoar o serviço nos últimos anos.

Desde aquisição, o Instagram cresceu de forma rápida e se tornou um dos núcleos mais importantes dentro do Facebook. Se em 2012, o app tinha 30 milhões de usuários, hoje esse número já superou 1 bilhão. Neste período, o Instagram conseguiu se manter razoavelmente distante dos escândalos que sujaram a reputação da companhia de Zuckerberg e continua se reinventando para se manter popular entre adolescentes e jovens adultos, em um momento em que o Facebook como rede social é visto cada vez mais como uma plataforma para pessoas mais velhas.

O número impressiona quando comparado com o YouTube. O Google revelou nesta semana que o seu serviço de vídeo contribuiu com US$ 15 bilhões para o total de receitas da companhia em 2019, o que é US$ 5 bilhões a menos do que os valores do Instagram, mesmo sendo uma plataforma de conteúdo consideravelmente mais complexa, estabelecida há mais tempo e que exibe anúncios desde 2006. Também vale notar que o YouTube já tem mais de 2 bilhões de usuários de acordo com os números mais recentes do Google, o que é o dobro do Instagram.

A comparação com o YouTube choca ainda mais quando se percebe que, quando o Facebook adquiriu o Instagram, o aplicativo não possuía nenhum modelo de monetização. O serviço era mantido unicamente com o dinheiro de investidores e não havia publicidade, então a empresa não ganhava um único centavo com seus usuários. Foi esse fato que mais preocupou analistas de mercado na época da aquisição.

O próximo passo para o Facebook será tentar dar essa guinada com o WhatsApp. O aplicativo foi comprado por valores consideravelmente mais altos do que a quantia paga pelo Instagram, beirando os US$ 20 bilhões em 2014 e também não possuía um modelo de monetização claro. Na época, o app previa o pagamento de US$ 1 anual por usuário, mas muitos dos usuários jamais pagaram o valor. Quando a aquisição foi concluída, uma das primeiras medidas do Facebook foi exterminar a anuidade, o que fez com que o WhatsApp passasse a não trazer nenhum tipo de receita.

O Facebook tem algumas ideias para começar a monetizar o WhatsApp. Primeiro veio o WhatsApp Business, voltado para empresas que queiram usar a plataforma para se comunicar com clientes, que possui recursos pagos. Depois, a empresa afirmou que anúncios começariam a ser exibidos nos Status, que é como o aplicativo chama seu recurso de stories. Também foi revelado recentemente que o Facebook descartou o plano de incluir anúncios em mais partes da interface do app, pelo menos por enquanto.

Youtube redes sociais Facebook instagram Whatsapp rede social
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você