MCTIC e Telebras inauguram centro de operações do satélite geoestacionário no RJ

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, inaugurou nesta segunda-feira (19), no Rio de Janeiro, o Centro de Operações Espaciais (Cope-S), que atuará como backup da operação do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicação Estratégica (SGDC). “Avança mais uma etapa de um projeto que irá trazer uma transformação muito importante ao Brasil. Nossa ideia é que possamos deixar um país melhor. Não é apenas na qualidade de vida das pessoas, mas também na qualidade dos serviços públicos prestados a todos”, afirmou o ministro.

Ele explicou que o Cope-S, no Rio de Janeiro, garante o funcionamento, a operação e todos os serviços prestados pelo SGDC em caso de impedimento do Centro de Operações Espaciais Principal (Cope-P), localizado em Brasília.

Kassab lembrou que o SGDC vai permitir a implantação do programa Internet para Todos e o monitoramento das fronteiras brasileiras, ampliando as ações de combate ao crime organizado. “Esse projeto proporciona, para qualquer canto do país, qualquer localidade, qualquer município, banda larga de alta capacidade, gratuitamente. Qualquer equipamento público no Brasil, seja ele municipal, estadual ou da União, poderá contar com internet de alta velocidade, melhorando sensivelmente os serviços da saúde, a qualidade do diagnóstico e a educação de nossas crianças.”

“Trata-se da proteção à soberania nacional, na medida em que a comunicação via satélite constitui um recurso escasso, de alta complexidade tecnológica e vital para a defesa dos interesses nacionais e o desenvolvimento econômico, social e político do país”, ressaltou o presidente da Telebras, Jarbas Valente.

O ministro Gilberto Kassab também vistoriou o Centro de Operações Espaciais Principal (Cope-P), que será inaugurado no dia 27 de novembro. Instalado numa área de 15 mil metros quadrados na organização da Força Aérea em Brasília, lembra o formato de um satélite e já conta com a antena principal posicionada em local definitivo.

Há ainda cinco gateways, que são estações que fazem a interconexão entre o satélite e os clientes. São estações do segmento terrestre do SGDC, assim como os Centros de Operações Espaciais, que ficam em Brasília e no Rio de Janeiro. Sem as gateways, se torna impossível o atendimento aos clientes, pois as estações são imprescindíveis para estabelecer conectividade em banda larga, levando, assim, a internet até os lugares de difícil acesso. Elas estão instaladas em Brasília, Rio de Janeiro, Florianópolis (SC), Campo Grande (MS) e Salvador (BA).

O sistema do SGDC conta ainda com oito Estações CMS – Carrier Monitoring System (Sistema de Monitoramento de Tráfego, em português), espalhadas por locais estratégicos do território nacional, que estão concluídas e com equipamentos instalados. Elas servem para realizar a telemetria do SGDC.

Fonte: Ministério da Ciência e Tecnologia

 

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ