Medida Provisória adia Lei Geral de Proteção de Dados para maio de 2021

Governo edita MP, que trata de questões relacionadas ao auxílio emergencial, e inclui adiamento da lei

Matheus Luque, editado por Liliane Nakagawa 29/04/2020 21h00
LGPD
A A A

A Medida Provisória (MP) nº 959 editada pelo presidente Jair Bolsonaro e publicada nesta quarta-feira (29) no Diário Oficial da União adiou, mais uma vez, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). A previsão agora é de que ela entre em vigor apenas em 3 de maio de 2021.


A Lei nº 13.709, que define regras sobre o uso de dados digitais no Brasil e foi sancionada ainda no governo Temer em agosto de 2018, já sofreu duas prorrogações: no começo deste mês, o Senado já havia aprovado um projeto que flexibilizava vigência da LGPD para o início de 2021, o processo ainda tramita na Câmara. Originalmente, ela estava programada para entrar em vigor em agosto deste ano.  

Reprodução

Créditos: relentlessdataprivacy

A presente medida provisória trata de questões relacionadas ao auxílio emergencial, oferecido pelo governo para minimizar os impactos econômicos da pandemia de Covid-19. No entanto, no 4º parágrafo, o texto muda de tema e insere a mudança na vigência da Lei Geral de Proteção de Dados. 

A LGPD busca estabelecer padrões sobre os quais dados de usuários, coletados por empresas, são sensíveis e pessoais, e determina regras de como eles devem ser armazenados e tratados. A lei também elabora punições para eventuais abusos e também fala de uma autoridade nacional para fiscalização.

 

Via: G1

 

Brasil privacidade vazamento de dados Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais Bolsonaro armazenamento de dados falha de privacidade Dados LGPD coleta de dados dados sensíveis uso de dados
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você