Método permite identificar criminosos com um fio de cabelo após 250 anos

Cientistas descobriram um método que pode identificar um criminoso usando fios de cabelo mesmo 250 anos depois de ele ter sido deixado para trás. Atualmente, as técnicas forenses correm contra o tempo porque muitas evidências se perdem rapidamente, se tornando inúteis. A descoberta permite usar certos tipos de proteínas, resultantes da ligação de aminoácidos, presentes no cabelo que podem ser reconectados ao DNA original de uma pessoa.

"Como resultado, existe uma ligação entre os marcadores proteicos que encontramos e DNA de uma pessoa", diz Deon Anex, um químico LLNL e co-autor do estudo. "Há duas razões pelas quais isso é particularmente importante: o DNA é único para cada indivíduo e é herdada dos pais de uma pessoa", explica Deon Anex, um dos autores do estudo.

A quantidade de proteínas no cabelo, juntamente com o seu padrão, é exclusiva para cada indivíduo, e os pesquisadores explicam que o tamanho da amostra atual pode permitir que eles identifiquem uma pessoa em uma população de um milhão, mesmo 250 anos depois de os fios terem caído da cabeça.

O processo de análise dura atualmente dois dias e meio, mas os pesquisadores explicam que o objetivo é reduzir o tempo para que a tecnologia possa ser usada diariamente em laboratórios.

Via NewAtlas

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ