Oreo, Marshmallow, KitKat: entenda a origem dos nomes de cada edição do Android

O Google confirmou nesta semana que a mais nova versão do seu sistema operacional móvel, a 8.0, se chama Android Oreo. Quem acompanha a evolução do software há anos deve entender o motivo para a escolha do nome, mas quem chegou agora pode ter ficado com dúvidas.

Afinal, por que Oreo? A marca norte-americana de biscoitos recheados (ou bolachas recheadas, se você estiver em São Paulo) virou o nome desta edição do Android graças a um acordo de "co-branding", como explicou Justin Parnell, diretor de marca global da Oreo, ao site Ad Age.

Segundo o executivo, o acordo permite que Google e Oreo tirem proveito do nome do novo Android em termos de publicidade. Sendo assim, nem a Oreo precisou pagar para colocar seu nome no Andorid 8.0 e nem o Google teve que pagar para pegar a marca Oreo "emprestada".

Para a Oreo, o benefício é claro: publicidade no sistema operacional mais usado no mundo. Vai levar algum tempo até que a maioria dos usuários de Android esteja na versão 8.0 Oreo, já que o software geralmente vê um crescimento bem mais lento que o iOS, mas se seguir o exemplo das edições anteriores, é provável que, em cerca de dois anos, o Oreo seja o Android mais popular do mundo.

Mas e o Google, o que ganha com isso? O uso da marca Oreo tem a ver com uma tradição que a empresa mantém desde 2009, quando foi lançado o Android 1.5 Cupcake. Cada versão do sistema operacional segue uma letra do alfabeto: as duas primeiras, 1.0 e 1.1, seriam, respectivamente, A e B. Já a terceira versão, que seria o Android C, ganhou o nome de Cupcake.

Em seguida veio o Android D (Donut), o Android E (Eclair) e assim por diante, seguindo cada letra do alfabeto até chegar a Android O (Oreo). Mas de onde vêm esses nomes, como Donut e Eclair? São sobremesas populares nos EUA, assim como o pacote de biscoitos Oreo, o marshamallow do Android M e o pirulito do Android L (Lollipop).

Até o Android 4.3, que se chamava Jelly Bean (balinha de goma), os nomes de cada edição foram simples guloseimas. Quando chegamos ao Android K, em 2013, pela primeira vez o Google realizou um acordo de co-branding, aproveitando a marca KitKat para o Android 4.4, em um negócio semelhante ao que a empresa fechou com a Oreo neste ano.

É por isso que, na ocasião do lançamento do Android 7.0, no ano passado, que deveria ter um nome começando com a letra N, tantas pessoas apostaram que a edição se chamaria Android Nutella, aproveitando mais uma marca conhecida pelas sobremesas. Não foi o que aconteceu, porém.

É também por esse motivo que o Android O, oficializado nesta semana, já trazia a expectativa de ser chamado de Android Oreo: que outra sobremesa popular nos EUA, que começa com a letra O, você conhece? O Google nunca explicou o motivo de usar nomes de sobremesas em ordem alfabética, se limitando a dizer apenas que se trata de uma brincadeira interna criada pelos engenheiros do software.

Mas, de qualquer forma, seguindo esse padrão - que, até hoje, não mudou - fica fácil para os fãs do Android tentarem adivinhar qual será o nome da próxima edição do sistema, que só chega no ano que vem. Será Android P, mas qual sobremesa será a homenageada? Resta aos usuários e à imprensa especializada que façam suas apostas.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ