Celular Smartphone Hacker Invasão

Projeto de lei quer permitir acesso da polícia a celulares mesmo sem mandado

Lucas Carvalho 28/03/2018 12h14
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Um projeto de lei em tramitação na Câmara dos Deputados quer permitir que autoridades tenham acesso a celulares de pessoas investigadas e até quebrem sua criptografia mesmo sem um mandado judicial para isso.


O PL 9808/2018, de autoria do deputado João Campos (PRB-GO), foi descoberto pelo Gizmodo Brasil e apresentado no plenário da Câmara há uma semana. Até agora, porém, o projeto de lei ainda não foi apreciado por qualquer comissão.

O texto propõe acrescentar "os parágrafos 5° e 6º ao art. 10 da Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014, para dispor sobre o acesso a dados de comunicação por meio de aplicativos de internet para fins de persecução criminal".

A Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014, é também conhecida como Marco Civil da Internet. A ideia é que a polícia tenha o direito de acessar o celular de uma pessoa presa em flagrante cometendo crimes hediondos, tráfico de drogas ou terrorismo.

Além disso, o projeto de lei sugere que a própria polícia, e não um juiz, possa procurar "provedores de internet, provedores de conteúdo e autores de aplicativos de comunicação" para descriptografar o conteúdo do celular apreendido.

Em outro caso, a polícia poderia também arranjar ferramentas próprias para quebrar a criptografia de uma conversa de WhatsApp, por exemplo, mesmo que a empresa se recuse a cooperar. Tudo isso sem precisar de autorização da Justiça.

Como lembra o Gizmodo, o Superior Tribunal de Justiça decidiu recentemente que acessar mensagens de WhatsApp de uma pessoa investigada sem autorização de um juiz é ilegal. Mas, para o autor do projeto de lei, deve haver exceções.

"Ora, se até a casa do individuo, que é asilo inviolável, pode ser penetrada sem autorização judicial em caso de flagrante", questiona o texto do projeto de lei, "por que não permitir que, em igual situação de flagrante delito, o delegado de polícia possa acessar independente de autorização judicial, os dados de registro e conteúdos de comunicação privada de dispositivo móvel"?

O projeto ainda precisa ser avaliado pelas comissões da câmara antes de seguir para votação em plenário ou diretamente para o Senado. A proposta só vira lei se for aprovada pelos senadores e sancionada pelo presidente da República. Não há prazo definido para que tudo isso aconteça.

Brasil justiça Política criptografia
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você