Projeto Soli

Projeto Soli: a plataforma do Google que reconhece movimentos avança. Entenda

Rene Ribeiro 03/01/2019 08h30
Compartilhe com seus seguidores
A A A

O Google apresentou o Projeto Soli em 2015. Liderada por Ivan Poupyrev, esta é uma iniciativa que consiste em minúsculos sensores capazes de reconhecer os movimentos que fazemos com nossas mãos e, em seguida, intrerpreta-los de forma a criar comandos sem tocar fisicamente a tela ou qualquer outra superfície.


Em 2015 o Google mostrou um pequeno protótipo que emitia um sinal que foi detectado com uma precisão de 10.000 registros por segundo. Quatro anos dessa demonstração, agora a empresa recebeu a aprovação da Comissão Federal de Comunicações da América do Norte (FCC) para sua implementação. Um sinal verde que vem depois que o Google e o Facebook concordaram com a faixa de frequências que esses mini radares usarão.

-> Google: história, curiosidades e tudo que você precisa saber sobre o buscador!

O que é o Projeto Soli

Descrever o Project Soli é uma tarefa complicada, pois não há muitas iniciativas semelhantes. No vídeo de apresentação, o líder do projeto nos conta sobre as diferentes possibilidades. Estaríamos diante de um pequeno radar que seria implementado em qualquer tipo de dispositivo, desde um wearable, um carro ou qualquer dispositivo.

Graças a este radar, estes dispositivos podem reconhecer gestos e movimentos próximos com grande precisão e usá-los para interpretar movimentos de "tela" ou pulsações sem ter que tocar fisicamente em nada.

A FCC permitirá que os sensores Soli operem em um nível mais alto do que o usado atualmente, com frequências que também possibilitarão que sejam utilizados a bordo de aeronaves. Segundo informou a Reuters, "o Projeto Soli será de interesse público para fornecer dispositivos com tecnologia para interpretar gestos de forma revolucionária".

Os sensores do Projeto Soli são capazes de reconhecer o espaço em três dimensões. Uma tecnologia que, segundo uma descrição do prórpio Google, permite que você pressione botões e execute gestos complexos, como movimento de pinça (juntar ou separar os dedos indicador e polegar). Mais interessante ainda, é que, apesar de ser um controle virtual, as interações parecem físicas, já que há uma resposta tátil ao tocar os dedos uns nos outros.

Não se sabe ainda quanto tempo levará para o Project Soli ser consolidado como um produto comercial e ainda é cedo para saber exatamente como isso vai funcionar. Mas é um projeto interessante que pode trazer muitos benefícios para quem tem mobilidade limitada, pessoas com miopia avançada e até mesmo cegas. Entre os testes baseados no Soli, nós mostramos o SoliType, no vídeo abaixo.

 

Entre as razões na demora para ser aprovado pela FCC, há uma disputa sobre a faixa de frequência específica utilizada. Em março do ano passado, o Google perguntou se o Soli poderia ser usado entre 57 e 64 GHz , frequência compatível com os padrões europeus. Naquela época, o Facebook comentou se essa mudança poderia trazer interferência em outras tecnologias existentes.

Por fim, as duas empresas teriam chegado a um acordo e o Project Soli poderá operar com uma frequência maior do que a estabelecida anteriormente para esse tipo de tecnologia, mas menor do que a proposta inicialmente pelo Google. Mas o importante é que ele, finalmente, está saindo do papel.

Google Nanotecnologia Tecnologia projeto inovação tecnologia da informação tecnologia vestível google app wearable
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você