Pirataria

Provedores não podem ser responsabilizados por pirataria de sites, decide juiz

Redação Olhar Digital 22/02/2017 11h00
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Um tribunal na Califórnia, nos Estados Unidos, concluiu nesta semana que um site de hospedagem não pode ser culpado pelos crimes de páginas que usam seu serviço. A decisão acontece no processo que acusa o provedor Steadfast de responsabilidade secundária em um caso de pirataria.

No ano passado, a editora de entretenimento adulto ALS Scan entrou com um processo contra sites de pirataria, provedores de hospedagem e até redes de publicidade, alegando que as empresas eram responsáveis por promover o conteúdo pirata. Na época, a Steadfast ressaltou que não fornecia conteúdo, interagia com usuários ou realizava qualquer tipo de ação direta com o público. “Só fornecemos armazenamento”, explicaram os responsáveis pelo negócio.

"Hospedar um site de pirataria não é suficiente para argumentar que o host contribui para a suposta violação de direitos autorais no site de compartilhamento de imagens”, afirmou o juiz George Wu."O Tribunal não tem conhecimento de qualquer autoridade que sustente a alegação de que um réu fornecer alguma forma de ‘hospedagem’ de serviços a um site infrator seja suficiente para estabelecer violação de direitos autorais contributiva", finalizou.

Via TorrentFreak

Pirataria justiça
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você