Quase R$ 120 bilhões em bitcoins estão perdidos para sempre, estima empresa

A bitcoin pode ser a moeda virtual do futuro, mas isso não significa que ela necessariamente precisa ficar guardada na internet. Isso é tanto uma vantagem quanto uma maldição: ao mesmo tempo em que o usuário mantém suas moedas seguras guardando-as em um HD ou pendrive, ele também pode perder acesso a elas se alguma coisa acontecer com esse dispositivo de armazenamento. Estima-se que vários bilhões de dólares já tenham se perdido dessa forma.

Segundo uma estimativa da empresa Chainanalysis, publicada pela Fortune, nos 9 anos em que a bitcoin existe, aproximadamente metade das moedas está desaparecida ou inacessível de alguma forma. São casos como o de um rapaz que jogou fora um HD com 7.500 bitcoins, compradas em uma época em que elas não valiam quase nada.

De acordo com o estudo, a estimativa alta é de que 3,79 milhões de bitcoins estão perdidas, enquanto a estimativa mais baixa é de 2,78 milhões de moedas desaparecidas, o que resultaria em algo próximo de 17% e 23% do total de moedas existentes atualmente. Considerando que a bitcoin se aproximou nesta segunda-feira, 27, dos US$ 9.800, isso resulta em algo entre US$ 27,2 bilhões e US$ 37,1 bilhões em moedas perdidas.

O estudo vai um pouco mais além e estima também que as moedas pertencentes a Satoshi Nakamoto, criador da bitcoin, também estão perdidas para sempre, mas não as inclui na conta do parágrafo anterior. Segundo a Chainanalysis, as carteiras associadas a ele reúnem mais de 1 milhão de moedas, geradas em uma época em que qualquer notebook simples conseguia minerar 50 bitcoins sem dificuldades.

Considerando que a pessoa desapareceu desde 2011 e suas carteiras permaneceram intactas desde então, é muito provável que essas moedas estejam inacessíveis por algum motivo, já que valeriam hoje quase US$ 10 bilhões, um valor astronômico e que está completamente parado. Existe, claro, a possibilidade de ele retornar e resgatar sua fortuna, mas na visão da empresa é mais provável que isso não aconteça.

Vale notar que esses cálculos são teóricos. Supondo, por exemplo, que Satoshi Nakamoto ressurgisse das cinzas e tentasse vender seu milhão de bitcoins, ele causaria um impacto pesadíssimo no mercado, gerando uma desvalorização grande, uma vez que a oferta se tornaria desproporcional à demanda. O mesmo vale para as outras moedas perdidas; se de repente alguém achasse todos esses HDs perdidos que guardam até 3,79 milhões de bitcoins e tentasse trocá-las por dinheiro convencional, o valor tenderia a despencar rapidamente.

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ