SSD Seagate Barracuda 250 GB

Review do SSD Seagate Barracuda de 250 GB: alto desempenho e preço acessível

Rene Ribeiro, editado por Rui Maciel 04/05/2019 14h00
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Um SSD já não custa mais os olhos da cara e este produto é uma solução interessante para quem deseja aumentar o desempenho do PC. E o software de clonagem ajuda muito no processo.

Um SSD (Solid State Drive) é uma ótima opção de armazenamento para aumentar a velocidade de acesso a programas. E não é apenas esse tipo de operação em que ganhamos desempenho. Isso porque o Windows, ou qualquer outro sistema operacional, sempre faz uso de uma parte do armazenamento como uma memória temporária, para gravar dados grandes antes de processá-los.


Portanto, várias operações, inclusive quando abrimos várias abas no Chrome, consomem tempo de acesso ao disco. E não é raro ter que aguardar vários segundos preciosos (e irritantes) até o disco entregar os dados para o processador poder continuar trabalhando.

Os SSDs são uma ótima solução em troca do tradicional disco rígido (ou HD, se preferir), justamente porque não são são discos. Um SSD usa chips de memória e não usa partes mecânicas. Só por esse fato, já são cerca de 5 a 6 vezes mais rápidos para entregar dados do que um HD.

Reprodução

A tradicional série Barracuda de HDs da Seagate chega agora ao SSD

É claro que o custo da memória é maior, porém, o preço dos SSDs segue caindo, devido a demanda e também à capacidade de produção das fabricantes ter aumentado. O review de hoje mostra um exemplar da Seagate, de 250 GB, que tem preço médio, verificado até a data de publicação desse review, de R$ 230. Bem mais em conta do que há dois anos atrás, quando um modelo dessa capacidade custava mais do que R$ 500.

SSD Seagate Barracuda de 250 GB: design e acabamento

A Seagate já é conhecida pelos HDs Barracuda e agora, em 2019, está usando o nome dessa série para seus novos SSDs. O principal objetivo desse SSD é para quem deseja fazer um upgrade na máquina. Ele é indicado para notebooks ultrafinos, PCs mini e PCs desktop que precisam da velocidade superior do SSD para acelerar aplicações e também tarefas simultâneas.

Reprodução

Ele pesa apenas 50 gramas, o que já ajuda a reduzir o peso do notebook quando substituído o HD. A espessura de apenas 7 milímetros é um ponto forte para ser instalado em qualquer notebook. O case é feito em plástico, aparentemente resistente, mas como SSDs não tem partes mecânicas, a preocupação com quedas é bem menor do que com um HD. E como vai ficar dentro de um portátil ou desktop, essa preocupação é praticamente zero.

SSD Seagate Barracuda de 250 GB: especificações

Esse SSD utiliza interface SATA 3, que atinge velocidade de 6 Gb/seg ou 600 MB/seg. Ele pode ser conectado a interfaces SATAs antigas (1 e 2), porém, nesses casos, a velocidade de transferência de dados do SSD será limitada pela interface, que são mais antigas e se tornam um gargalo para o SSD. Portanto, é preciso saber qual o tipo de interface seu computador usa para aproveitar o máximo de desempenho do SSD.

Reprodução

SSD Seagate Barracuda 250 GB: 7 milímetros de espessura

SSD Seagate Barracuda de 250 GB: teste de desempenho

Para os testes, utilizei um PC desktop com processador Core i5 8400 (8ª geração), 8 GB de RAM e sistema operacional Windows 10 home. Não tive como instalar o Windows no SSD, portanto, o que pude fazer foi instalá-lo em uma interface SATA 3 como segunda unidade de armazenamento. Estando nessa interface, os testes têm efeito para validar sua velocidade na prática.

A instalação não é problema algum, pois o produto é plug’n play e o BIOS do PC já reconhece automaticamente o SSD. Tudo o que precisou ser feito foi formatar. Como a capacidade não é tão grande, formatei com apenas uma partição e com o tipo NTFS.

O desempenho foi mostrado pelo software Crystal Benchmark, já que testes de transferências de arquivos não seriam reais. O motivo é que o HD do meu PC seria um gargalo enorme e não iria refletir a realidade. Já os testes sintéticos do software medem a taxa real de escrita e leitura por meio de algoritmos e arquivos de tamanhos diferentes gerados pelo próprio Crystal Benchmark.

Aliás, este software é gratuito e pode ser baixado em seu PC (seja notebook ou desktop). Pode ser uma boa ideia para comparar os resultados do desempenho do seu disco com esse SSD da Seagate. O software não grava nada em seu PC e pode ser executado tranquilamente sem nenhuma perda de dados. Abaixo segue o resultado:

Reprodução

taxas de transferências do SSD Barracuda de 250 GB. Valores de leitura e gravação atingiram o prometido pela Seagate

Interpretação dos resultados dos testes

Este software usa uma massa de dados escolhida pelo usuário. Escolhi 1 GB para não demorar muito e também porque fica dentro de uma faixa adequada para a maioria dos usuários.

Na primeira linha da figura acima, ele faz o teste de leitura e gravação sequencial de arquivos, o que é importante para saber o quanto é veloz para gravar arquivos grandes (sistema operacional, jogos, edição de vídeo, por exemplo) e também o quanto é rápido para fazer a leitura desses dados.

Na segunda linha da tabela, o software faz testes com arquivos pequenos de 4 Kbytes distribuídos em 8 blocos que vão se somando e se agrupando em blocos maiores (no total de 8) até formar 1 GB. É para conhecer a velocidade de leitura e gravação quando acessado vários arquivos de tamanhos pequenos.

Na terceira linha ele faz a leitura e gravação dos mesmos arquivos em 4Kbytes, porém, em um grupo maior de arquivos e em acesso aleatório, sem ser em sequência. Nesse caso verifique que as taxas de leitura e gravação diminuem, pois são arquivos pequenos, lidos em partes diferentes do SSD.

Na última linha os arquivos não são agrupados, são pequenos e distribuídos também aleatoriamente, o que faz a taxa cair ainda mais.

Mesmo assim, ainda é mais rápido que um disco rígido tradicional. Para ter uma ideia, veja os resultados abaixo do benchmark do HD que estava instalado no mesmo desktop:

Reprodução

taxas de transferências do HD instalado no desktop. Compare com os resultados da imagem acima e veja a diferença brutal do SSD

A única coisa a deixar claro na figura acima é que o ponto entre os números é uma vírgula. Pois no sistema norte-americano para divisão de milhar, é utilizado “ponto”, e não vírgula. Sabendo disso, basta ver os números para enxergar a brutal diferença das taxas de leitura e gravação que há entre o HD e o SSD.

SSD Seagate Barracuda de 250 GB: Software de clonagem

Esse item vem como um bônus aqui. Durante os testes, fiquei em dúvida se a Seagate tinha um software para clonagem de sistemas. Pensei nisso porque esee SSD é indicado pela própria empresa para pessoas que querem trocar seu HD do notebook para um SSD para ganhar desempenho. Então seria legal ela fornecer um suporte para isso, correto?

E pesquisando no site da empresa, tive a grata surpresa de encontrar uma solução gratuita chamada DiscWizard. O software tem várias funções, como fazer um diagnóstico do SSD, encontrar erros, criar uma imagem de backup, restaurar uma imagem e, por fim, clonar um disco.

Essa opção é muito interessante porque com ela é muito fácil trocar seu HD pelo SSD sem você perder nada do que já tem instalado em seu notebook ou desktop. O único detalhe é que você precisará de um case USB para plugar o SSD na USB do computador, pois é assim que o DiskWizard vai fazer uma cópia idêntica do HD para o SSD. E é a forma mais simples.

Reprodução

Depois disso, basta escolher no DiskWizard o disco de origem (que é o seu HD) e o disco destino (que o é SSD que você comprou). Clicar em seguir e pronto, a clonagem já inicia. Dependendo do quantidade de dados, a clonagem vai demorar até duas horas e meia para o tamanho de 250 GB. É demorado pelo gargalo da USB do notebook, mas seu SSD fica pronto para instalar no notebook e já sair com todos os seus softwares funcionando.

Caso você faça isso no Desktop, tem a vantagem de ter a interface SATA 3 na motherboard. Nesse caso o processo é muito mais rápido, já que essa interface é cerca de 6 vezes mais rápida do que uma do que uma porta USB 3.0.

Só fica um aviso: o DiskWizard só funciona com SSDs da Seagate. Nada mais justo, já que o software pode ser baixado gratuitamente no site da empresa.

SSD Seagate Barracuda de 250 GB: conclusão

O ponto principal a ser observado nesse SSD é que ele atingiu as taxas de leitura e gravação prometidas pela Seagate. O desempenho é cerca de 5 a 6 vezes superior a de um HD tradicional. Pela espessura de apenas 7 milímetros, é indicado para notebooks ultrafinos, mas pode ser instalado tranquilamente em qualquer notebook ou desktop, pois a interface é padrão SATA e seu formato é de 2,5 polegadas.

Talvez notebooks mais antigos possam precisar de um adaptador, mas são fáceis de encontrar em lojas de informática. O importante a ser observado para aproveitar o desempenho que o SSD Seagate Barracuda oferece é se o seu PC usa a interface SATA 3.

Ele é compatível com SATA 1 e SATA 2, porém vai atingir velocidades menores, pois essas interfaces são antigas e se tornam um gargalo para qualquer SSD.


SSD review armazenamento armazenamento removível seagate
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você