Rússia se desconecta da internet mundial

País realizou uma série de testes para se desconectar do resto do mundo e criar sua própria rede, a RuNet

Fabrício Filho, editado por Matheus Luque 24/12/2019 11h20
Hacker Rússia
A A A

O governo russo anunciou ontem (23) que concluiu uma série de testes para desconectar o país da internet mundial. O objetivo era testar a infraestrutura nacional da nova internet da nação, conhecida como RuNet, e verificar se o sistema interno poderia funcionar sem acesso ao DNS global e à rede externa.


Foram necessários alguns dias para a conclusão dos testes, que envolveram agências governamentais, provedores locais de serviços de internet e empresas russas locais. O tráfego do sistema de computadores foi redirecionado internamente, o que fez com que o RuNet se tornasse a maior rede intranet do mundo.

Apesar do sucesso dos testes, como de praxe o governo não revelou muitos detalhes técnicos. Apenas houve a constatação de que foram testados vários cenários de desconexão, incluindo um quadro em que era simulado um ciberataque de um país estrangeiro. Segundo declarações da coletiva concedida na segunda-feira, o experimento foi um sucesso. 

“Em geral, as autoridades e as operadoras de telecomunicações estão prontas para responder efetivamente a possíveis riscos e ameaças e garantir o funcionamento da internet e da rede de telecomunicações unificada na Rússia", afirmou Alexei Sokolov, vice-chefe do Ministério de Desenvolvimento Digital, Comunicações e Meios de Comunicação de Massa. O executivo também disse que os resultados serão apresentados ao presidente Vladimir Putin em 2020. 

Avaliação 

Ainda que as avaliações tenham ocorrido em alguns dias, o êxito do plano teve como base anos de planejamento, elaboração de leis e modificações físicas na infraestrutura da internet local. Inicialmente, os teste estavam marcados para abril deste ano, mas acabou adiado para dar ao Kremlin (sede do governo russo) mais tempo para aprovar uma lei necessária para o processo. 

A chamada lei “soberania da internet” concede o poder legítimo ao governo de desconectar o país do resto do mundo sem muitas explicações, que tem como base a segurança nacional e o temor de interferências estrangeiras. Para que isso acontecesse, a legislação determina que os serviços de internet redirecionem o tráfego por meio de estratégias administradas pelo Ministério das Comunicações. 

Vale ressaltar que este mês o presidente Vladimir Putin afirmou que o país não iria se desconectar, e a lei era uma precaução. “Não estamos caminhando para fechar a internet e não temos intenção de fazer isso”, disse o mandatário. “Esta lei pretende apenas evitar as consequências negativas de uma possível desconexão da rede global, que é amplamente controlada do exterior”, concluiu Putin.

A criação da lei foi alvo de críticas de ativistas de direitos humanos na Rússia desde o começo do ano. Eles argumentaram que sua possível efetivação era uma ameaça à liberdade de expressão e à mídia. Ainda é cedo para falar em mudanças em outras nações, mas a atitude pode configurar em uma iniciativa a outros governos que queiram criar sua própria rede de internet. 
 
Via: ZD Net
Internet ciberataque Russia vladimir putin Lei ataques cibernéticos RuNet intranet
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você