Saiba os planos da Nasa e da SpaceX para o retorno da missão Demo-2

Cápsula Crew Dragon deve partir da Estação Espacial Internacional às 20:34 do sábado (1) e mergulhar no Oceano Atlântico, em algum ponto próximo da costa da Flórida, na tarde do domingo (2)

Victor Pinheiro 29/07/2020 21h07
Crew Dragon na ISS
A A A

A Nasa e a SpaceX pretendem iniciar neste sábado (1) a viagem de retorno da missão Demo-2. A operação, que já marcou a história por levar tripulantes à Estação Espacial Internacional (ISS) a bordo de um veículo privado, prevê a volta dos astronautas Doug Hurley e Bob Behnken em um mergulho da cápsula Dragon no Oceano Atlântico.


Segundo a agência norte-americana, a espaçonave desenvolvida pela SpaceX deve partir da ISS às 20:34 do sábado, com previsão de chegar à Terra por volta das 15:42 do domingo. A estimativa, no entanto, é de que a viagem possa durar de seis até 30 horas, a depender do local de pouso da missão.

Confira a seguir os pormenores dos planos da Nasa e da SpaceX para conduzir a operação de retorno da Crew Dragon.

Reprodução

Lançamento da missão Demo-2 marcou o primeiro voo espacial tripulado feito por uma empresa privada. Imagem: Reprodução

O Local de pouso

A Nasa e a SpaceX definiram ao todo sete possíveis pontos de pouso: a costa de Pensacola, Tampa, Tallahassee, Cape Canaveral, Daytona e Jacksonville - todas cidades do estado da Flórida, nos Estados Unidos - e a costa da Cidade do Panamá, capital do Panamá. O ponto escolhido, porém, será um mistério até pelo menos 48 horas antes do início da missão de regresso. O local deve ser confirmado mais outras duas vezes, 6 horas e 2 horas e meia antes dos astronautas dissociarem a Crew Dragon da ISS.

De acordo com o Space.com, a viagem ocorrerá mesmo diante de condições desfavoráveis nas regiões de pouso. A Nasa e a SpaceX seguirão monitorando as condições climáticas à medida que os astronautas se aproximam da Terra para avaliar se vale a pena manter o ponto designado ou escolher outra opção. Caso os cenários sejam adversos para todos os locais, a missão ainda trabalha com a hipótese de suspender o mergulho e deixar os astronautas em órbita a bordo da Crew Dragon por até 48h.

A operação inclui o resgate dos tripulantes em alto mar, por isso há uma série de fatores considerados para avaliar as condições adequadas de pouso. A velocidade do vento não pode exceder os 4,5 metros por segundo, assim como devem ser evitados relâmpagos e chuva em um raio de 16 km. A Nasa também analisará a disponibilidade dos helicópteros que podem ser usados para resgatar os astronautas e estudar os movimentos rotativos das embarcações designadas para auxiliar a missão.

Da ISS à atmosfera

Ao se desconectar da ISS, a Crew Dragon Endeavour - como foi apelidada a cápsula que transportará os astronautas até a Terra - acionará dois motores para iniciar o distanciamento do laboratório orbital. Na sequência, a espaçonave executará mais quatro ignições com o objetivo de ajustar a rota em direção ao planeta.

Reprodução

Astronautas Behnken (à esquerda) e Hurley (à direta) a bordo da ISS. Imagem: Nasa

Algumas horas depois, caso as condições para o mergulho da cápsula no oceano sejam favoráveis, a Endeavour completará um estágio final de queima de motor para se posicionar adequadamente em relação ao local de pouso. A espaçonave ejetará parte do maquinário e entrará na atmosfera terrestre a uma velocidade estimada em 28 mil km/h.

Durante o mergulho, a sonda atingirá ma temperatura aproximada de 1.900 ºC. Isso deve interromper o funcionamento dos sistemas de comunicação da espaçonave por seis minutos, segundo a Nasa. Ao atingir 5,5 km de altitude, a Endeavour acionará dois paraquedas, que visam diminuir a velocidade do veículo de 560 km/h para 191 km/h, aproximadamente. Outros três paraquedas entrarão em ação perto dos 1,8 km de altitude.

Mergulho e resgate

A cápsula com os astronautas Hurley e Behnken atingirá o mar em um dos locais previstos pela Nasa e a SpaceX. Os tripulantes serão resgatados por duas embarcações, cada um dos navios contará com dezenas de funcionários da agência espacial norte-americana e da empresa do bilionário Elon Musk.

Uma embarcação principal vai liberar outros dois barcos menores. Um deles será responsável por certificar se Endeavour apresenta algum vazamento e se há vapores de combustível que possam oferecer risco à tripulação. Já o outro barco deve recuperar os paraquedas.

Somente após todas essas etapas, a embarcação principal resgatará a cápsula. Os astronautas serão retirados da espaçonave e passarão por uma bateria de exames médicos. Na sequência, eles devem ser transportados para terra firme de barco ou helicóptero. A Endeavor, por sua vez, será levada à Flórida, onde será analisada por técnicos da SpaceX.

Crew-1

A Nasa e a SpaceX já preparam uma nova missão tripulada para levar outros quatro astronautas à Estação Espacial Internacional. A Crew-1 vai inaugurar o programa comercial de missões tripuladas da agência espacial norte-americana. O acordo prevê o pagamento de US$ 2,6 bilhões (R$ 13,56 bilhões) à SpaceX por ao menos seis lançamentos.

Ainda sem data definida para decolar, a Crew-1 depende do sucesso do retorno da missão Demo-2. Além da SpaceX, a Boeing também participa do programa da Nasa, a companhia, no entanto, falhou em testes não tripulados no ano passado.

Via: Space


Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você