nomofobia fomo vício

Senador americano quer limitar uso das redes sociais

Roseli Andrion 31/07/2019 14h42
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Segundo ele, essas plataformas são desenhadas para viciar o usuário e, por isso, o tempo que ele passa nelas deve ser limitado

Vídeos com autoplay podem ser bastante irritantes. O mesmo vale para páginas em que a rolagem parece infinita: você quer chegar ao fim e não consegue. O senador americano Josh Hawley, do Missouri, propôs uma lei para bani-los.


Chamada de Ato de Tecnologia para a Redução de Vício em Mídias Sociais (Social Media Addiction Reduction Technology Act – SMART Act), a lei busca evitar que companhias online usem táticas que "exploram a psicologia humana ou a fisiologia do cérebro" para afetar as opções do usuário.

A ideia é abolir, entre outros, interfaces desenhadas para enganar, confundir ou puxar o usuário para dentro da plataforma. Segundo Hawley, esses designs alimentam o vício em redes sociais, cujo objetivo é capturar o máximo da atenção dos usuários. Ele diz, ainda, que essa tática — usada por sites como Facebook, YouTube e Snapchat — interfere na liberdade de escolha dos usuários.

A proposta de lei aponta que a rolagem infinita da tela, o autocompletar e o autoplay eliminam pontos naturais de parada. A exceção, no caso do autoplay, seriam as playlists personalizadas em serviços de streaming como o Spotify.

Imposição de limites

A gamificação também está na mira de Hawley: medalhas e outros prêmios associados ao engajamento (como os oferecidos pelo Snapchat) não são bem vistos pelo congressista. Aparentemente, a ideia é incomodar os usuários a ponto de eles decidirem abandonar as redes sociais.

O texto diz que as plataformas teriam de limitar o uso, por padrão, a 30 minutos diários. Os usuários poderiam escolher seus próprios limites para o dia e para a semana, mas as empresas teriam de ajustá-los novamente todo mês para meia hora. Além disso, elas teriam de apresentar avisos a cada 30 minutos para mostrar quanto tempo foi gasto no dia anterior na rede.

Em um comunicado, Hawley afirma que o segmento adotou um modelo de negócios que busca o vício do consumidor. "Boa parte da 'inovação' não busca criar produtos melhores, mas apenas capturar a atenção a partir de truques psicológicos."

Não é a primeira vez que ele tenta regular mecanismos potencialmente viciantes do universo digital: em maio, ele sugeriu uma lei para banir as loot boxes dos games — a justificativa é que essas microtransações buscam explorar as crianças. O mais curioso e paradoxal é que o website do senador tem um vídeo em autoplay logo no início da página.

redes sociais Tecnologia vício limite de uso rolagem da página autoplay
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você