Suécia vai interrogar Assange, fundador do WikiLeaks

O Equador e a Suécia assinaram na última sexta-feira, 11, um acordo que autoriza que Julian Assange seja interrogado na embaixada equatoriana em Londres. O fundador do WikiLeaks permanece no local desde 2012 e será interrogado na próxima quinta-feira, 17.

As negociações para um interrogatório na embaixada estavam em andamento desde o mês de junho de 2015. “O acordo, sem dúvida alguma, é uma ferramenta que fortalece relações bilaterais e facilita, por exemplo, a execução de ações legais como o questionamento do Sr. Assange, isolado na embaixada equatoriana na Inglaterra”, afirma o comunicado do Equador.

O governo sueco tem tentado interrogar o ativista desde 2010. Na época, duas mulheres o acusaram de abuso sexual. Apesar de negar ser culpado, Assange se recusou a ir até a Suécia por receio de uma possível extradição para os Estados Unidos, onde ele é procurado por vazar informações confidenciais do país.

No mês de agosto, uma parte das acusações foi descartada por falta de acusações formais. Os procuradores suecos, no entanto, afirmaram que prosseguiriam com as investigações sobre uma terceira denúncia de estupro.


Via OperaMundi 

Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ