Twitter

Twitter quer alterar 'retuítes' e 'menções' em 2020, veja o que muda

Sofia Aureli, editado por Matheus Luque 06/11/2019 09h50
Compartilhe com seus seguidores
A A A

A plataforma busca políticas que reforcem seu posicionamento anti-assédio

O Twitter anunciou uma série de novos recursos que podem integrar a plataforma em 2020 e, entre eles, uma mudança estrutural na plataforma no que diz respeito aos retuítes e as menções nas conversas. As novidades foram anunciadas por Dantley Davis, vice-presidente de design e pesquisa, na segunda-feira (04). Ele disse estar animado para integrar as mudanças à plataforma.


“Recursos para 2020: remova-me dessa conversa; não permita RT deste tuíte; não permita que as pessoas me mencionem sem minha permissão; remova essa @menção desta conversa; Tuíte apenas isso para: Hashtag, interesse ou estes amigos”.

Como podemos ver pelo tuíte de Davis, estes recursos não fazem parte de anúncios oficiais do Twitter, mas são ferramentas que a rede social está estudando. Em entrevista ao The Verge, Davis afirmou que são apenas “ideias que estamos explorando”. Ele também pediu feedbacks e a opinião de usuários sobre a possibilidade de implantar essas ideias.


Ainda em entrevista para o jornal, um porta-voz da plataforma também reforçou a questão da exploração. “Experimentações sempre fizeram parte do nosso processo. Teremos mais para compartilhar se decidirmos avançar com qualquer um deles”, escreveu.

Apesar de ainda serem abstratos, alguns recursos se mostraram ferramentas essenciais para combater o assédio virtual na plataforma e eventuais exposições. Remover a permissão para mencionar pessoas em tópicos ou tuítes sem a permissão do usuário e de impedir o retuíte, por exemplo, contribuem para que seu conteúdo não seja mal interpretado ou tirado de contexto.

O mau uso do retuíte já criou tantos problemas em seus dez anos de existência que até mesmo seu criador, o desenvolvedor Chris Wetherell, afirmou ao BuzzFeed News que o recurso era similar a entregar “uma arma carregada para uma criança de 4 anos”.

A “cultura do destaque” ainda é um elemento fundamental do discurso no Twitter e, quando utilizada para expor ou ridicularizar usuários, pode resultar em uma enxurrada de menções negativas que tornam a rede social um lugar inóspito. Porém, recentemente a plataforma flerta com práticas mais “saudáveis” de coexistência online, melhorando ferramentas de moderação e também banindo anúncios políticos pagos na plataforma.

O diálogo estabelecido por Davis está de acordo com a meta feita pelos chefes da rede social para melhorar a transparência de suas decisões e processos que estão sendo encaminhados.

Twitter Plataformas rede social saúde mental
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você