Uber demite mais de 20 funcionários em investigação de assédio sexual

A Uber demitiu mais de 20 funcionários após uma investigação sobre assédio sexual dentro da empresa.

Pessoas familiarizadas com o caso relataram para a Bloomberg que a companhia informou, nesta terça-feira, 6, aos seus mais de 12 mil funcionários sobre a investigação que está sendo liderada pelo ex-procurador-geral dos Estados Unidos, Eric Holder.

O advogado da Perkins Coie LLP, Bobbie Wilson, está analisando 215 queixas recebidas pela área de recursos humanos da Uber e, além das pessoas que foram desligadas, outros 31 funcionários estão em aconselhamento ou treinamento, e sete receberam avisos por escrito da empresa.

A companhia abriu as investigações após a publicação de uma ex-funcionária em um blog afirmando ter sofrido discriminação e assédio sexual dentro da empresa. Além disso, Amit Singhal, chefe de engenharia de software, foi demitido em fevereiro após o descobrimento sobre uma denúncia de assédio sexual contra ele em seu antigo emprego, o Google.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ