Meng Wanzhou

Vice-presidente da Huawei é presa no Canadá a pedido dos EUA

Lucas Carvalho 06/12/2018 10h45
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Meng Wanzhou, vice-presidente do conselho administrativo da Huawei e também presidente financeira da empresa (CFO), foi presa nesta semana em Vancouver, no Canadá, e aguarda extradição para os Estados Unidos, onde foi acusada de violar sanções ao Irã.


O Departamento de Justiça do Canadá confirmou ao jornal Wall Street Journal que Meng foi presa no dia 1 de dezembro. Ela passará por uma audiência em que pode ganhar o direito de ser libertada mediante o pagamento de uma fiança na próxima sexta-feira, 7.

Meng também é filha de Ren Zhengfei, fundador da Huawei, empresa que é uma gigante chinesa e a segunda maior vendedora de smartphones do mundo. A corporação também trabalha com infraestrutura de telecomunicações e recentemente tem estado na mira do governo dos EUA.

Os norte-americanos não divulgaram detalhes sobre o motivo da prisão e do pedido de extradição. Mas segundo o WSJ, a Justiça dos EUA acusa a Huawei de fazer negócios com empresas do Irã, violando sanções internacionais aplicadas ao país do Oriente Médio.

"A empresa recebeu muito pouca informação sobre as acusações e não tem conhecimento de qualquer irregularidade da Sra. Meng", disse um porta-voz da Huawei em comunicado à imprensa. "A companhia acredita que os sistemas legais do Canadá e dos EUA chegarão a uma conclusão justa."

Nos últimos tempos, o governo dos EUA tem liderado uma campanha contra a Huawei. No começo de 2018, a empresa foi barrada ao tentar vender seus smartphones por lá. Mais recentemente, os norte-americanos tentaram convencer aliados a não utilizar equipamentos da empresa chinesa.

Os EUA acreditam que a Huawei tem ligações próximas ao governo da China e que pode estar vazando informações sigilosas de outros países para Pequim. O estado chinês nega que esteja espionando o Ocidente através da Huawei, e a empresa nega que esteja vazando informações ao governo da China.

Em comunicado, a embaixada da China no Canadá criticou a decisão de prender Meng e pediu que ela seja libertada por ser uma cidadã chinesa. A executiva trabalha na Huawei desde 1993. Antes de se tornar CFO e vice-presidente do conselho, ela já foi diretora do departamento internacional de contabilidade da empresa, além de CFO da unidade de Hong Kong.

Huawei
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você