Vivo pode ser multada em R$ 10 milhões por vazamentos de dados

Uma brecha na segurança da Telefônica deixou dados pessoais de clientes da operadora suscetíveis ao acesso de terceiros; valor da multa tem por base o Código de Defesa do Consumidor

Liliane Nakagawa 07/11/2019 17h11
Vivo Multa
A A A

O recente caso de vazamento de dados pessoais da Vivo, reportado com exclusividade ao Olhar Digital nesta segunda-feira (4), ganhou mais um capítulo. Nesta quarta-feira (7), o Procon e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) enviaram cobranças de esclarecimentos à Telefônica, dona da Vivo.


O Procon pede que a companhia esclareça o ocorrido e as medidas adotadas para reparar o problema, além de prestar atendimento às pessoas afetadas. O prazo para a resposta da Telefônica é de 15 dias. Após o período, o órgão definirá sua posição em 30 dias.

Segundo o Procon, a multa pode chegar a R$ 10 milhões com base no Código de Defesa do Consumidor. A Anatel, por sua vez, disse que vai apurar o fato e, se caracterizada a infração aos direitos dos consumidores, poderá aplicar sanção contra a operadora. O trâmite e as sanções que a Vivo poderá sofrer foram não foram informados pelo órgão regulador.

Dados como nome completo, endereço, telefone e CPF de 24 milhões de usuários cadastrados no serviço Meu Vivo estavam expostos em uma vulnerabilidade do sistema da operadora. A falha de segurança foi reportada pelo grupo "WhiteHat Brasil" no começo desta semana. 

'Conduta ilegal'

A Telefônica admitiu o problema, mas disse que o número de clientes possivelmente impactado foi "consideravelmente menor". Por meio de nota, a empresa afirmou que "respeita a privacidade e a transparência na relação com os seus clientes" e que "segue eliminando vulnerabilidades em seu sistema para garantir a proteção e a privacidade dos dados de seus clientes e coibir eventuais ações ilícitas".

A companhia afirmou ainda que "está investigando a conduta ilegal dos acessos ao seu sistema e tomando as medidas jurídicas e técnicas cabíveis". 

Esta não é a primeira vez que a Telefônica é alvo de questionamentos relacionados à segurança dos dados pessoais de seus clientes. No fim de julho, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) protocolou uma ação civil pública contra a Telefônica acusando a companhia de vender a terceiros dados como histórico de navegação e lugares frequentados pelos clientes da Vivo. Este caso, porém, foi arquivado, porque a Justiça julgou improcedente o pedido do MPDFT por falta de provas. 

Em agosto de 2020, com a LGPD em vigor, empresas que deixarem seus clientes expostos estarão sujeitas a penalidades, que vão desde uma advertência até multa correspondente a 2% do faturamento da infratora, limitada a R$ 50 milhões, segundo o artigo 52 da mesma legislação. 

Via: AE

 

vazamento de dados Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais cibersegurança vulnerabilidade roubo de dados armazenamento de dados falha de segurança venda de dados dados cadastrais coleta de dados
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar a extensão Olhar Digital Ofertas em seu navegador!.

Recomendados pra você