Apple paga R$ 70 bilhões em impostos à Irlanda, mas o país não quer o dinheiro

O ministro da fazenda da Irlanda, Paschal Donohoe, anunciou nesta semana que a Apple pagou 14,3 bilhões de euros - equivalentes a cerca de R$ 70 bilhões em conversão direta - em impostos atrasados. Mas nem a empresa nem o país estão satisfeitos com a situação.

O pagamento foi feito por conta de uma ordem da União Europeia, mas tanto a Apple quanto o governo da Irlanda estão recorrendo da decisão. Enquanto isso, o dinheiro, que poderia ser usado para financiar o serviço de saúde do país por um ano, vai ficar numa espécie de "poupança" administrada pelo governo.

Mas por que a Irlanda não quer esse dinheiro? Em 2016, após uma investigação que durou dois anos, Margrethe Vestager, da Comissão Europeia - o braço legislativo da UE - concluiu um inquérito dizendo que a Irlanda ofereceu benefícios fiscais ilegais à Apple por 10 anos, entre 2004 e 2014.

Segundo a Comissão, a Apple pagou menos impostos à Irlanda do que deveria durante esse período, o que colocou a empresa em vantagem sobre seus competidores da Europa. A ilegalidade tem a ver com as leis europeias de cobrança de impostos, e não com as leis nacionais da Irlanda.

O país diz que não há nada de errado na cobrança de impostos da Apple, mesmo argumento usado pela empresa. As duas entidades recorreram da decisão de 2016 e ainda aguardam julgamento de diversas apelações. Atualmente, o processo está na Corte Geral da União Europeia, a penúltima instância do bloco.

De todo modo, a história parece estar perto de um fim. Como a Apple já fez o pagamento dos impostos devidos, mesmo antes do fim do processo, a Comissão Europeia já fala em desistir da ação. Um porta-voz disse à Ruters que a comissária Vestager vai propor ao plenário que a ação contra a Irlanda e a empresa seja retirada.

Já o ministro da fazenda da Irlanda, Paschal Donohoe, indicou que não pretende devolver o dinheiro, mesmo sendo "contra" a decisão da UE. "Apesar de o governo discordar fundamentalmente da análise da Comissão e pedir a anulação dessa decisão, como membros dedicados da União Europeia, sempre confirmamos que recuperaríamos o suposto auxílio estatal", disse ele em nota.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ