CEO da Tesla: 'Avanço tecnológico obrigará adoção de renda básica universal'

O fato de que robôs estejam tirando os empregos de um número cada vez maior de pessoas pode, no futuro, não ser algo tão ruim assim. É nisso, ao menos, que acredita Elon Musk (o CEO da Tesla e da SpaceX, que quer levar a humanidade a Marte a partir de 2022). Em uma recente entrevista à rede estadunidense CNBC, ele argumentou que o avanço tecnológico obrigará governos a adotarem uma renda básica universal.

"Há uma chance bem grande de que nós tenhamos renda básica universal no futuro por conta da automação", opinou Musk. Isso aconteceria pelo fato de a tecnologia estar eliminando cada vez mais empregos. A Uber, por exemplo, já possui carros autônomos que eliminam a necessidade do motorista, e pretende em breve começar a oferecer caminhões autônomos também, desempregando mais pessoas.

A renda básica universal é uma política pública que garante a cada cidadão uma renda mínima para satisfazer suas necessidades básicas. Esse tipo de medida já é discutida há bastante tempo como forma de combater a desigualdade social. No entanto, Musk acredita que no futuro próximo ela será simplesmente inescapável. "Não sei o que mais poderia ser feito", disse.

Mudança na sociedade

Essa situação, de acordo com Musk, traria uma mudança positiva para a sociedade. Com a garantia de que ganhariam o suficiente para se manter em qualquer caso, "as pessoas terão tempo de fazer outras coisas, coisas mais interessantes, coisas mais complexas. Certamente terão mais tempo de lazer também", considerou.

Musk tampouco é o único empresário da tecnologia que prevê a adoção de um sistema desse tipo no futuro. Em abril, Mark Zuckerberg e Yan Lecun (o CEO e o chefe de pesquisa em inteligência artificial do Facebook, respectivamente) colocaram essa medida como uma possibilidade para um futuro cada vez mais automatizado.

Conforme aponta o Gizmodo, essa automação já está chegando até mesmo a trabalhos considerados criativos. Mesmo assim, uma mudança social desse tipo ainda está muito distante. O site argumenta que, na nossa sociedade, somos tão definidos pelo nosso trabalho que, quando perdemos o emprego para um robô, simplesmente encontramos outro emprego para substituí-lo.

Pode parecer uma visão um pouco ingênua da situação, mas segundo a CNBC, esse é o modelo que Musk tenta implementar em suas empresas, como a Tesla. Se um funcionário da Tesla descobre uma forma de um robô fazer seu trabalho para ele, ele não é demitido. Em vez disso, ele recebe um emprego melhor e mais interessante, ou simplesmente pode continuar em seu posto trabalhando menos.

O Natal está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ