Diretor do FBI admite erro ao configurar senha do iPhone de terrorista

Pela primeira vez, desde que começou a briga entre a Apple e o FBI, o diretor do FBI, James Comey, admitiu que os técnicos cometeram um erro ao redefinir a senha do smartphone do terrorista de San Bernardino durante as investigações. 

Porém, ele manteve sua posição de que a Apple deve cumprir a ordem judicial que obriga a empresa a ajudar no desbloqueio do iPhone.

No mês passado, executivos da Apple disseram que, se a senha não tivesse sido alterada, seria possível ter acesso a uma cópia de segurança do aparelho. O FBI, então, minimizou o efeito da redefinição da senha do iCloud alegando que isso não afeta a capacidade da empresa de cumprir uma ordem judicial, acrescentando que o objetivo do governo era “extrair o máximo de provas possíveis a partir do celular”.

Comey também reconheceu que o caso de San Bernardino poderia criar um precedente legal, influenciando outros promotores e juízes a solicitarem a quebra de segurança de iPhones bloqueados.

Ao elaborar o debate sobre a concessão do acesso privilegiado do governo para dispositivos criptografados, Comey insistiu que o caso San Bernardino se resume a uma importante investigação de terrorismo e não um esforço para enfraquecer criptografia ou criar backdoors.

Via BuzzFeed

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ