Mineração de bitcoin consome mais energia do que 159 países juntos

A mineração de bitcoin em todo o mundo consome um total de 29,05 de TWh (Terawatt-hora) de eletricidade anualmente – o que equivale a 29 bilhões de kWh (Quilowatt-hora), de acordo com um levantamento realizado pelo Digiconomist.

Além disso, dados da Power Compare revelam esse número é o equivalente a 0,13% do consumo total global de eletricidade, o que não parece muito. No entanto, o gasto energético da mineração é maior do que o gasto de 159 países juntos, incluindo boa parte dos países da África e América Central, além de países na Ásia e Oriente Médio.

Se os mineradores de bitcoin representassem um país, eles estariam na 61ª posição na lista de países que mais gastam energia.

Além disso, somente no último mês, houve um aumento de 29,98% no consumo energético da bitcoin e o custo estimado da mineração global é de US$ 1,5 bilhão.  Caso a taxa se mantenha nesse nível, a expectativa é de que a mineração de bitcoin consuma toda a eletricidade mundial em fevereiro de 2020 – sem considerar variações na mineração de criptomoedas ou evolução da produção de energia elétrica. 

Compras para o Natal? Não deixe de conferir a extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ