Samsung prevê lucros recordes de mais de R$ 40,7 bilhões no terceiro trimestre

Pouco após o lançamento do Galaxy Note 8, seu próximo celular top de linha (e sucessor do explosivamente desastroso Note 7), a Samsung já parece ter motivos para comemorar. A empresa anunciou hoje que estima que seu lucro no terceiro trimestre de 2017 será 179% maior do que no mesmo período do ano passado. 

Esse aumento - caso se confirme - significará que os lucros da empresa quase triplicaram do terceiro trimestre de 2016 para cá. No total, a empresa espera ter um lucro total de 14,5 trilhões de won (cerca de R$ 40,8 bilhões) entre julho e setembro de 2017. Se a empresa conseguisse manter esse lucro por um ano, seu lucro equivaleria aproximadamente ao PIB da Eslováquia ou da Etiópia, segundo dados do banco mundial (pdf).

Memória valiosa

Curiosamente, porém, o Note 8 tem pouco a ver com esse aumento assustador nos lucros - embora, segundo a empresa, o aparelho tenha recebido um número recorde de pré-vendas. O principal fator por trás desse crescimento, de acordo com analista, é a venda de de chips de memória RAM dinâmica (a RAM de celulares e PCs) e de chips de armazenamento NAND flash (responsáveis pela memória de armazenamento dos celulares e tablets), que a empresa produz.

"Os chips de memória adentraram um admirável mundo novo. A taxa de aumento da oferta diminuiu de maneira drástica, enquanto que a demanda superou expectativas, levantando rapidamente os preços", disse o analista de mercado Kim Woon-ho à Reuters. 

De fato, segundo dados que o site obteve da empresa de dados DRAMeXchange, a demanda por chips de armazenamento NAND flash já vem sendo maior que a oferta de tais chips por um ano e meio. No caso dos chips DRAM, estima-se que a demanda continue a ser maior que a oferta pelo menos até 2019, quando a Samsung deve inaugurar outra fábrica dedicada a esses componentes.

Visão do futuro

Há também mais um motivo para que a empresa preveja um aumento tão vertiginoso em seus lucros: o fato de que a Apple passou a usar tecnologia OLED nos displays de seus iPhones, com o iPhone X. A Samsung é uma das únicas fabricantes de displays desse tipo no mundo, e o aumento de demanda por tais componentes gerado pelo uso deles em um produto da Apple também é um fator importante para a empresa. 

Após o anúncio as ações da Samsung atingiram um preço recorde de 2,74 milhões de won. Desde então, no entanto, elas sofreram uma leve queda, o que se explica facilmente - muitos investidores aproveitaram o preço alto para liquidar os seus ativos e colher os lucros.





RECOMENDADO PARA VOCÊ