Valor do bitcoin supera R$ 3.700 e bate recorde

Na madrugada do dia 24 de fevereiro, o bitcoin atingiu seu valor mais alto desde que começou a ser negociado. A moeda virtual chegou a ser negociada por US$ 1.206,27 (R$ 3.714,08) antes de sofrer uma leve queda e voltar a cerca de US$ 1.160 (R$ 3.571), valor no qual está sendo negociada atualmente.

Antes de atingir esse patamar, o recorde anterior da moeda virtual havia sido US$ 1.165 (R$ 3.588). Ela atingiu esse nível em novembro de 2013. No entanto, alguns meses depois daquele recorde, notícias de que um dos principais sites de negociação de bitcoins havia saído do ar fizeram com que a moeda voltasse a um patamar muito inferior. O gráfico que mostra a evolução do valor do bitcoin ao longo do tempo pode ser visto abaixo:

Como pode se ver acima, o preço da moeda virtual se estabilizou na casa dos US$ 250 há cerca de dois anos. Segundo o TechCrunch, nessa época, a perspectiva era de que o bitcoin jamais voltaria ao patamar dos US$ 1.000. Do final de 2015 para cá, porém, ele começou a subir, embora de maneira bastante imprevisível, até atingir o recorde atual. 

Para se ter ideia, seis meses atrás o valor da moeda era US$ 577. Três meses atrás, subiu para US$ 736, e um mês atrás era US$ 885. Era evidente que ele vinha numa tendência de crescimento, mas essa tendência parecia estar se desacelerando. No entanto, ficou claro agora que esse não era o caso.

Motivos

Não há como ter certeza do motivo que levou o bitcoin a atingir um valor tão alto. Por outro lado, é possível levantar algumas hipóteses. Uma delas é que a moeda virtual esteja seguindo o mesmo rumo das bolsas de valores dos Estados Unidos, que vão muito bem. Segundo a rede estadunidense de TV CNBC, as bolsas NASDAQ, Dow Jones, Russel e SP 500 vêm repetidamente batendo os próprios recordes ao longo da última semana.

De acordo com o USA Today, porém, a nomeação de Mike Mulvaney para a direção da Federal Office of Management and Budget (escritório de gerenciamento e orçamento) contribuiu para o novo recorde. Mulvaney é um antigo apoiador do bitcoin e sua nomeação para o cargo indica que a moeda virtual pode assumir um papel cada vez maior nos EUA.

Outro motivo é a possibilidade de criação de de um fundo de valores negociável na bolsa com base em bitcoins. Trata-se do Winklevoss Bitcoin ETF: se for aprovado, o fundo seria o primeiro do tipo no mercado estadunidense, e tornaria muito mais fácil para investidores apostarem na moeda virtual.

Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ