Yahoo é vendido por US$ 4,5 bilhões e CEO pede demissão

A operadora de telecomunicações estadunidense Verizon concluiu ontem a aquisição do Yahoo por um valor total de US$ 4,5 bilhões. Por conta das "mudanças inerentes" pelas quais o papel de CEO do Yahoo passará com o acordo, a atual detentora do cargo, Marissa Mayer, anunciou que está deixando o posto.

O encerramento do processo de aquisição acontece quase um ano após o primeiro anúncio de que a Verizon compraria o Yahoo. Só que, desde que aquele anúncio foi feito, o Yahoo passou não apenas por um, mas por dois vazamentos em massa de dados de seus usuários - no total, mais de 1 bilhão de contas foram afetadas. Isso fez com que a Verizon pedisse um "desconto" no valor inicial.

Mayer, por sua vez, não vai precisar se preocupar muito com sua atual situação de desemprego. Ao sair de seu cargo, ela recebeu um "paraquedas de ouro" de US$ 23 milhões; mas ela também já deveria ter uma poupança confortável, pois tinha um salário-base de US$ 454 mil mensais e ganhou um total de US$ 36,6 milhões só nos seus seis primeiros meses de trabalho.

Queda monumental

Esse encerramento marca o fim da negociação pelo Yahoo, que já foi uma das empresas mais valiosas do mundo, depois de ele perder mais de 95% de seu valor de mercado ao longo de 16 anos. A Verizon pretende unir as pessoas e os serviços do Yahoo aos recursos que ela já tem na marca AOL para criar uma empresa subsidiária chamada Oath.

Segundo o TechCrunch, essa aquisição é mais um sinal da aglomeração de empresas no mundo de mídia online. Empresários estão tentando unir operadoras, criadores de conteúdo e serviços digitais para conseguir atender a múltiplos públicos, e para criar uma economia de escala que os torne capaz de enfrentar gigantes de tecnologia como Google e Facebook.

Compras para o Natal? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.




RECOMENDADO PARA VOCÊ