Ganhar dinheiro no YouTube não é para qualquer um; entenda o motivo

Salvo raríssimas excessões, ganhar dinheiro nunca foi fácil. Depois de se consolidar como um espaço bastante democrático da internet - onde qualquer pessoa pode publicar um vídeo - com mais de um bilhão de usuários em todo o mundo e cerca de 100 horas de conteúdo publicadas por minuto, o YouTube deixou de ser apenas uma plataforma de conhecimento e diversão. Ul-timamente, se tornou um canal de busca de renda para muita gente. É verdade, tem quem já ganhe bastante dinheiro por lá…mas será que é tão simples assim?! Será que é pra qualquer um?!…

Até poucos anos atrás a fama era restrita às grandes celebridades e, principalmente, à ex-posição na TV. O YouTube mudou essa realidade; permitiu que qualquer um pudesse conquistar seus cinco minutos de fama - ou quase isso. Agora, essa história de fama foi além. Atire a primeira pedra quem nunca pensou em transformar seu hobby em profissão. Isso!  Ganhar din-heiro fazendo o que mais gosta na vida. Sem dúvida, é o sonho de muita gente.

Para conquistar suas selfies na rua, o Caique criou seu primeiro canal em 2010. Não deu certo! Mas ele insistiu. Afinal, se tinha tanta gente dando certo lá, por que só ele não conseguiria? Ele estudou, pesquisou, investiu e cinco anos depois criou seu segundo canal no YouTube. Em um mês conquistou quatro mil inscritos; hoje ele tem quase 400 mil assinantes em seu canal dedi-cado a ensinar outros a serem, sim, “youtubers” de sucesso.

Ainda que não seja nenhum Whindersson Nunes - o fenômeno do YouTube com mais de 24 milhões de seguidores - o Caique aprendeu, assim como tantos outros, a fazer uma grana com o seu canal. Transformou o Youtube em profissão…

De forma nativa, dentro da própria plataforma, existem três formas de monetizar seu conteúdo: a primeira - e certamente a mais conhecida do pessoal - é através da exibição de anúncios no início do vídeo. Até pouco tempo atrás, qualquer um podia fazer isso. Mas o Youtube mudou suas políticas recentemente e agora é preciso que o vídeo atinja o número mínimo de 10 mil visualizações para começar a ser monetizado. A partir de então, o criador pode entrar em um programa de parceria do Youtube para começar a receber uma fatia desse bolo.

Tudo bem, a regra independe do número de seguidores. Mas o valor pago nestes casos ainda é um mistério. O que se sabe - apenas fazendo contas e comparando alguns canais e suas re-spectivas receitas vindas da publicidade - é que os youtubers recebem entre 50 centavos de dólar a, no máximo, cinco dólares a cada MIL visualizações. Mas este é um valor estimado. O algoritmo usado pelo YouTube que determina o peso para cada variável de exibição do material publicitário é guardado a sete chaves.

Assim, em um mesmo dia, em um mesmo vídeo, o usuário pode ganhar mais ou menos por visualização, dependendo da forma que o anúncio exibido foi negociado entre a marca e o Youtube. A única informação que o criador do conteúdo tem é quanto ele arrecadou ao final de um mês. Sim, o valor do “view" pode mudar bastante de um período para outro. E nenhuma dessas informações é aberta ao produtor de conteúdo.

O YouTube, claro, não repassa o valor integral da publicidade para o dono do canal. Antes, ele retira uma cota - que também não é divulgada oficialmente. A cifra que circula em toda a internet, inclusive em veículos especializados, como o Business Insider, é de 45%.

No final das contas, a verdade é que é muito difícil ganhar algum dinheiro significativo somente com essa participação da publicidade exibida no vídeo. O próprio YouTube acredita que esse valor seja suficiente, no máximo, para manter a produtividade do canal, mas não como fonte de renda. O segredo para fazer uma boa grana e fazer negócios através do YouTube é outra…e vai além de simplesmente produzir bons vídeos.

Muitos criadores, assim como o Caique - e principalmente os mais famosos - quando se destacam acabam chamando atenção de grandes marcas…fazem acordos…e aí, sim, começa a valer a pena.

A principal dica de quem conseguiu transformar o canal em fonte de renda é unânime: é preciso ser original; ser específico e, claro, ter qualidade. Escolher um assunto para falar e ter um foco, um público alvo. Só assim haverá alguma chance de ser procurado por marcas para acordos comerciais - ainda que essa realidade ainda seja para uma minoria muito específica se voltarmos a pensar naquele bilhão de usuários espalhados pelo mundo.

Recentemente, o YouTube anunciou duas novas formas de fazer dinheiro diretamente na plataforma. A mais recente - ainda em teste - é uma espécie de patrocínio, no valor de sete reais e 99 centavos, pago pelos próprios seguidores do canal. A outra é através de uma nova ferramenta embarcada no chat durante as transmissões ao vivo.

Ainda que não seja fácil, sim, o YouTube pode servir também como uma plataforma de desenvolvimento de negócios. Escolas tradicionais de ensino e outras especializadas inclusive já incluíram aulas de produção audio visual em seus currículos. É cada vez mais comum crianças acompanharem celebridades digitais e até se espelharem neles. O sonho de ser um youtuber é consequência e nada impede que esta se torne mais uma profissão do futuro. Com apenas nove anos, a Maria Eduarda ainda é muito nova para pensar em ganhar dinheiro, mas já sabe que não quer que seu canal de vídeos pare de crescer…

A BlackFriday está chegando. Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.


RECOMENDADO PARA VOCÊ