Os resultados na manufatura das indústrias que já embarcaram no mundo digital

Tecnologia, provavelmente seja a última coisa que venha à sua cabeça ao ver imagens como estas: toneladas de sucata, equipamentos grandes e robustos; ferro e fogo! Aparências enganam. Por mais tradicional que aparente ser, a siderurgia é mais um setor que caminha em direção à Indústria 4.0. Drones, dispositivos móveis, aplicativos exclusivos, câmeras inteligentes, uma infinidade de sensores e, principalmente, cabeças abertas estão transformando o processo industrial.

Informações relevantes e valiosas estão por todos os lados em qualquer tipo de indústria. O diferencial é que nessa era digital, os dados são muito melhor aproveitados e, consequentemente, se traduzem em resultados mais rápidos e palpáveis. Com o uso de softwares de Big Data, a informação é transformada em inteligência. Nesta siderúrgica, por exemplo, um projeto de análise automatizado de vídeo usa câmeras inteligentes e conectadas para identificar, em tempo real, situações que exijam uma tomada de decisão rápida. Um alerta instantâneo para que não haja qualquer tipo de prejuízo ou sequer atraso na produção.

Sem a necessidade de trocar a maioria dos equipamentos – que como mostramos no início – são extremamente robustos, uma série de adaptações colocou sensores em quase todas as máquinas. Isso permite que, através de um tablet ou até um smartphone, todas essas – de bombas a gigantes fresadoras – possam ser controladas à distância, mesmo que o responsável não esteja no ambiente. Ao mesmo tempo, soluções estão constantemente avaliando e tratando dados gerados por esses sensores para que eles possam ser aproveitados da melhor forma possível.

A sucata é o principal insumo de uma indústria que produz aço. Ainda que muita gente desconheça, é um material caro – a tonelada pode custar até mil reais. Para ter controle do estoque, a siderúrgica faz um inventário diário do volume de sucata disponível. O trabalho que antes era feito por amostragem e levava cerca de quatro horas para ser concluído, hoje é feito em apenas sete minutos com a ajuda de um drone e um software específico...

Por aqui, a sucata é tão valiosa que este funcionário passa o dia tirando fotografando os resíduos metálicos. Não que seja nenhuma adoração particular. Com um aplicativos desenvolvido exclusivamente para isso, ele consegue classificar o nível da sucata em apenas um clique. Comparando a imagem com um banco de dados, é possível saber quanto vale aquela tonelada específica.

Outro app que mexeu com a produtividade aqui dentro é o que controle o tempo de permanência dos caminhões dentro da indústria. O funcionário responsável usa a ferramenta para controlar o fluxo e atingir sua meta diária de distribuição de material. Diferente do que a maioria das empresas mais conservadoras acreditam, a busca da digitalização não está diretamente ligada ao poder de investimento.

Iniciativas como esta estão muito mais ligadas à cultura e à visão da empresa – talvez uma das maiores barreiras que o processo de digitalização encontra atualmente em inúmeros casos. No próximo capítulo da nossa série, você vai ver como startups estão fomentando essa transformação na busca sem fim; o processo contínuo da Indústria 4.0.

Vai às compras na BlackFriday? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.


RECOMENDADO PARA VOCÊ