Não é só nas estradas e em campos de trabalho que a questão da automação de veículos vem sendo estudada. Em Amsterdã, capital da Holanda, a partir do ano que vem haverá embarcações rodando pelos canais sem a necessidade de condutores humanos.

Um grupo de trabalho formado pelo Senseable City Lab, do MIT, e pelo AMS (instituto de soluções metropolitadas avançadas de Amsterdã) desenvolveu um veículo aquático chamado Roboat, que também contou com colaboração de pesquisadores da Delf University of Technology, da Wageningen University and Research, da administração de Amsterdã e da Waternet, empresa que cuida das águas da cidade.

publicidade

Reprodução

As embarcações consistem em pequenas plataformas que circulam por conta própria, seja para carregar humanos ou produtos. Os Roboats também podem ser alinhados para a formação de pontes e plataformas maiores para a realização de eventos como shows, por exemplo. Enquanto fazem tudo isso, as máquinas ainda coletam informações sobre a qualidade da água.

Essa não é a primeira vez que se fala em automatizar o transporte aquático, já que a Rolls-Royce anunciou planos para colocar em operação um navio cargueiro não tripulado. A diferença é que o Roboat tem função urbana, o que envolve preocupações como o tratamento com outras embarcações e com o vai e vem de humanos.

Carlo Ratti, um dos principais contribuidores do MIT no projeto, disse à Fast Co. que os botes autônomos serão colocados em testes em 2017, mas o projeto deve ser concluído dentro de cinco anos. Ele acredita que, além de dar trazer mais inteligência aos canais da cidade, a novidade também deve ajudar a reduzir a quantidade de acidentes — que já é menor que a das estradas.