EnglishPortugueseSpanish

O Google lançou neste ano o Pixel, o primeiro smartphone a levar a marca da gigante dos buscadores. O aparelho, ao que tudo indica, foi projetado para bater de frente com os iPhones da Apple, e mesmo que não consiga destronar a empresa da maçã ele ainda pode render uma boa grana ao Google, de acordo com analistas.

Segundo o Business Insider, o banco Morgan Stanley estima que o Pixel pode gerar uma receita de US$ 3,8 bilhões ao Google em 2017. Essa receita viria da venda de 5 a 6 milhões de smartphones Pixel e Pixel XL, que têm preços entre US$ 649 e US$ 879. O banco ainda prevê que o Google deve vender 3 milhões de seus smartphones só nos últimos três meses de 2016.

publicidade

Mas as vendas do Pixel não devem ser a única forma por meio da qual o Google ganhará dinheiro com ele. Os analistas do banco ainda estimam que algumas características do smartphone (como o Google Assistant, sua câmera e sua compatibilidade com o Daydream View) farão com que seus usuários gastem mais dinheiro na Play Store do que outros usuários Android.

Normalmente, donos de dispositivos mais caros gastam mais com aplicativos. Esse é um dos motivos pelos quais a App Store (da Apple) gera mais que o dobro de renda que a Play Store (do Google). Como o Pixel é um smartphone focado no mesmo público dos iPhones, porém, é possível que seus usuários gastem mais com aplicativos que a média dos usuários de Android. Por esse motivo, o Google também poderia lucrar com a venda de anúncios direcionados a esses usuários.

Mas será que chega na Apple?

Trata-se de uma boa fonte de receita para o Google, de acordo com os números que os analistas de mercado preveem. No entanto, na comparação com a receita que os iPhones geram para a Apple, o Pixel ainda fica longe.

publicidade

Apenas no ano fiscal de 2016, a Apple vendeu um total de 212 milhões de iPhones globalmente, gerando uma receita total de US$ 137 bilhões. No último trimestre de 2016 (quando os analistas esperam que o Google venda 3 milhões de Pixels), a Apple deverá vender 45,5 milhões de iPhones, totalizando US$ 28,2 bilhões de receita.

Cada iPhone, além disso, também traz mais lucro à Apple que os Pixels trazem ao Google. Segundo os analistas, a margem de lucro do Google em cada Pixel vendido fica entre 22% e 25% (de acordo com o modelo). Os iPhones, por sua vez, rendem à Apple uma margem de lucro de 41% – um valor que, apesar de considerável, não para de cair desde 2009, e que pode fazer com que o próximo iPhone seja o mais caro da história.

Independentemente de receita, em termos de desempenho, pelo menos, o Google pode se orgulhar de sua criação. Mesmo com um preço mais alto, a adoção do Google Pixel já superou a da última geração de dispositivos Nexus. O Olhar Digital já teve a oportunidade de testar o aparelho e ficou surpreso de maneira muito positiva com a sua qualidade.