EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Após a prisão da CFO da Huawei, Meng Wanzhou, no Canadá, em dezembro último, a tensão entre o país norte-americano e a China continua a subir. Isso porque a nação asiática alertou que haverá “repercussões” se o governo canadense proibir a Huawei de fornecer tecnologia para a rede 5G do país. As informações são da agência de notícias Reuters .

“Se o governo canadense proibir a Huawei de participar da rede 5G, é possível que haja algum tipo de repercussão. Não tenho certeza de como será isso, mas acredito que haverá repercussões”, afirmou  Lu Shaye, embaixador chinês, por meio de um tradutor da Huawei, durante uma entrevista coletiva. Ele acrescentou que Ottawa (sede do governo canadense) deveria “tomar uma decisão sábia sobre esse assunto”.

publicidade

“Esta é uma decisão importante para o Canadá e vamos fazê-lo com base no que é certo para o nosso país”, disse Ralph Goodale, ministro da Segurança Pública do Canadá, durante um retiro do seu gabinete, em Sherbrooke, Quebec. “Estamos examinando as questões de segurança, bem como as questões técnicas com muito cuidado. Nós deixamos bem claro que não comprometeremos a segurança nacional. Faremos a análise apropriada e tomaremos a decisão final em que acreditamos ser do interesse do Canadá “.

Caso Wanzhou foi o estopim e a corrida pelo 5G

A tensão entre China e Canadá aumentou depois que autoridades canadenses prenderam em dezembro último a CFO da Huawei, Meng Wanzhou , a pedido do governo dos EUA, por supostas violações de sanções ao Irã. Meng, que também é filha do fundador da Huawei, Ren Zhengfei, enfrenta um pedido de extradição para os EUA. Ela foi libertada sob fiança e permanece no Canadá.

Além disso, as grandes fornecedoras de infraestrutura para as redes 5G estão em uma disputa acirrada ao redor do mundo para implementar a sua versão. Essa tecnologia promete velocidades de dados significativamente mais rápidas e mais capacidade para dispositivos conectados. No entanto, os EUA alertaram outros países contra o uso de equipamentos de telecomunicações chineses devido a preocupações com segurança. E antes dessa advertência, a Austrália já havia banido a Huawei da lista de fornecedores para sua futura rede.

publicidade

Na quarta-feira (16/1), os legisladores norte-americanos apresentaram projetos de lei que proíbem a venda de componentes de chips norte-americanos para a Huawei, ZTE ou outras empresas chinesas de telecomunicações que violem as sanções americanas ou as leis de controle de exportação, segundo a Reuters . 

A Huawei não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.