EnglishPortugueseSpanish

Talvez você esteja familiarizado com o fato de que a fabricante de pilhas Energizer tenha anunciado um smartphone com capacidade de 18.000mAh de bateria durante o MWC 2019. Porém, o que muitas pessoas desconhecem é que a empresa, talvez, nem venha a comercializar este dispositivo.

Na feira de Barcelona, a Energizer não lançou apenas um, dois ou três aparelhos, foram 26 smartphones de uma vez só. Entre os aparelhos, temos smart feature phones, smartphones de entrada e até mesmo um protótipo de celular dobrável. Contudo, a linha mais importante da empresa é, sem dúvidas, a de smartphone com super bateria. Variando de 5.000 mAh até 18.000 mAh, a Energizer chamou a atenção para o que sabe fazer de melhor: pilhas e baterias.

publicidade

Reprodução

Apesar de muitos sites especializados estarem fazendo até hands-on do Energizer Max Power P18K Pop, o aparelho não deve chegar aos consumidores, bem como o dispositivo anunciado pela empresa o ano passado, o Energizer Power Max P16K Pro com bateria de 16.000mAh. Mas por quê?

Reprodução

#1 Queremos passar mais tempo com um smartphone, mas não com um tijolo

Apesar da ideia de termos um smartphone capaz de durar até uma semana sem precisar de carregamento ser super interessante, também gostamos de design, não é à toa que empresas como Samsung, Apple e Huawei se empenham tanto em colocar no mercado dispositivos lindos.

O celular é algo que utilizamos todos os dias, por horas, e precisa ser prático de carregar e usar com apenas uma das mãos. O que não é o caso do Energizer Max Power P18K Pop, o aparelho é pesado, difícil de segurar com uma mão e sem nenhuma preocupação com os detalhes.

Reprodução

Para se ter uma referência de tamanho, o recém lançado Moto G7 Power, possui uma capacidade de bateria de 5.000mAh e 9,3 milímetros de espessura. Já o Energizer Max Power P18K Pop, possui 18.000mAh de bateria e 18 milímetros de espessura. Ou seja, o aparelho é realmente grandalhão.

#2 A solução para a bateria não está no tamanho

Desde 1991, utilizamos baterias recarregáveis de lítio em nossos dispositivos. Isso porque este tipo de bateria oferece basicamente tudo o que precisamos: ser capaz de guardar muita energia, recarregar rápido, não perder muita capacidade (durar de 500 a 1000 ciclos) e ser barata.

Contudo, existe uma série de pesquisas sendo feitas em cima de diferentes tipos de tecnologias que permitiriam ter muito mais energia em componentes mais compactos. Duas delas são, por exemplo, as baterias de prótons e as de grafeno.

Reprodução

É claro que, enquanto este tipo de inovação não chega ao mercado, as baterias de íon-lítio continuam sendo a solução. Porém, hoje em dia, não há mais a necessidade de carregar um smartphone de 18 mm de espessura. Em casos extremos, se pode muito bem adquirir um celular de baixo custo com Internet como segundo aparelho.

#3 O Energizer Max Power P18K Pop é uma jogada de marketing

A Energizer é conhecida no mundo todo pela capacidade de pilhas e baterias, logo, nada mais genial do que lançar o primeiro smartphone do mundo com 18.000 mAh para chamar a atenção para a marca durante a feira de Barcelona. Essa também foi a estratégia da empresa em 2018, quando anunciou o Energizer Power Max P16K Pro, com um design bem mais elegante do que o do seu sucessor.

A fabricante está buscando parceiros, inclusive no Brasil, e caberá a estes, escolher em quais celulares investir no futuro. Este, aliás, é o motivo de termos 26 dispositivos no portfólio da Energizer, pois cada país possui uma necessidade diferente e a empresa quer cobrir todas as bases, desde feature phones aos aparelhos mais elegantes e com grande aproveitamento da parte frontal para a tela.

Reprodução

E neste sentido, o Energizer Max Power P18K Pop é uma excelente vitrine, pois possui uma câmera frontal dupla pop-up, uma super bateria, uma tela com excelente aproveitamento, um módulo com três câmeras traseiras, carregamento rápido, Android 9 Pie, funciona como uma bateria móvel, enfim, tudo o que a empresa oferece em termos de recursos em suas linhas.

Reprodução

Por fim, pode até ser que um parceiro da Energizer possa investir nesse aparelho, mas me parece muito difícil, visto que é um produto extremamente segmentado, sem apelo visual e fadado a um alto custo de fabricação. Contudo, algumas empresas devem sim investir nos outros modelos da categoria de smartphones Max Power da Energizer por causa de toda a atenção atraída para a empresa no MWC 2019.

Diz aí, você realmente carregaria um smartphone destes com você todos os dias? Por qual motivo?