Nos últimos dias, vimos algumas notícias referentes ao pedido de registro da marca MiStore junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). Apesar dos rumores de que este pudesse ser um sinal de que a Xiaomi estivesse interessada em abrir uma loja física em território nacional, já sabemos não se tratar disso.

De acordo com uma investigação do redator Felipe Ventura, do canal Tecnoblog, o pedido de registro de marca foi realizado pela empresa JCell Celulares, que compra e revende produtos da Xiaomi no país. Logo, a não foi a fabricante chinesa que deu entrada no processo junto ao INPI. Aliás, de acordo a base de dados da instituição, a JCell Celulares fez o pedido de registro da marca Mi Store em novembro do ano passado, o qual a própria Xiaomi registrou oposição em fevereiro deste ano.

publicidade

Desmentido o rumor, é claro que isso não significa que a Xiaomi não venha a abrir uma Mi Store no país eventualmente. Em 2019, a fabricante chinesa já assinou uma parceria com a DL Eletrônicos, que possui os direitos de venda de alguns modelos da Xiaomi, como o Pocophone F1 e o Redmi Note 6 Pro. Além disso, uma equipe da própria Xiaomi voltou a gerir os canais sociais oficiais da empresa no país. Logo, é claro que os executivos da fabricante chinesa estão interessados em comercializar mais produtos no Brasil.

Mais do que isso, de acordo com o relações públicas da empresa para a América Latina, Jack Liu, podemos esperar por novidades ainda em 2019: “Posso confirmar que a DL está trazendo alguns produtos oficiais para a Xiaomi. E sim, nossa própria página de mídia social oficial está em funcionamento. Quanto aos nossos planos para este ano, fique atenta ao nosso anúncio em breve!”

Bom, como você pode notar, apesar da Xiaomi não ter entrado com o pedido de registro da marca MiStore no país, isso não significa que não podemos esperar por um anúncio importante da fabricante para o Brasil nos próximos meses.

O que você acha que pode ser? O meu palpite é de que a empresa vai abrir uma loja física em uma das capitais do país, como fez em outras regiões, como Espanha, Portugal e França.