Sim, a Tesla está desenvolvendo suas próprias células de bateria em um laboratório secreto, mas ele, infelizmente, está longe de ser uma extravagância maluca de Elon Musk no meio de uma ilha do Pacífico. De acordo com uma reportagem publicada pelo canal CNBC nesta quarta-feira (26), a verdade sobre a localização do projeto oculto é muito mais decepcionante: ele fica em Fremont, na Califórnia, onde uma das fábricas da montadora está instalada.

Ao menos, a sinalização de que a Tesla vai desenvolver as próprias baterias é interessante o suficiente. Isso não significa, porém, que a notícia não é um pouco problemática – afinal, como vai ficar a parceria de longa data da companhia com a sua fornecedora atual, a Panasonic? Certamente, a opção por desenvolver as próprias baterias tem o objetivo de cortar custos, algo que a Tesla está desesperada para fazer atualmente. A empresa não quer mais pagar uma parceira que faça isso por ela.

publicidade

Hoje, os veículos da Tesla usam dois tipos de células de baterias. Os Models S e X usam as antigas células 18650, de longe as mais usadas no setor, enquanto o Model 3 (e, em breve, o Model Y) usa a célula 2170, que é fisicamente maior.

Levar todos os produtos da Tesla a um desenho único de célula provavelmente significaria uma economia de custos por si só, mas o desenvolvimento de células mais densas em energia permitiria que a empresa aumentasse a autonomia de seus carros. Porém, neste momento, o foco é fazer com que os veículos mantenham seu rendimento atual com menos células na bateria.

Fonte: CNet