EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Apple anunciou nesta segunda-feira (23) que fabricará o novo Mac Pro em Austin, Texas, após o governo dos Estados Unidos aliviar algumas tarifas de importação de componentes. A empresa estava tentando transferir a produção para a China, mas devido à tensão entre as duas maiores potências econômicas mundiais, decidiu produzir sua novidade em solo americano. 

Donald Trump disse na época, por meio da sua conta no Twitter, que não concederia isenção de tarifas para a empresa caso os computadores fossem fabricados no país asiático. “A Apple não receberá isenção de tarifa ou alívio para peças do Mac Pro fabricadas na China. Fabrique nos EUA, sem tarifas!”, afirmou o presidente norte-americano.

publicidade

Após o episódio, a Apple solicitou isenções para componentes como placas de circuitos parcialmente concluidas. Na última sexta-feira (20), reguladores comerciais dos EUA aprovaram dez dos 15 pedidos de isenção de tarifas apresentados pela Maçã em meio a uma suspensão mais ampla de impostos sobre componentes dos computadores. A decisão das autoridades norte-americanas vai facilitar a montagem de aparelhos no país de origem da empresa, reduzindo os custos de importação de peças.

A Apple afirmou que seus computadores Mac Pro mais recentes começarão a ser fabricados em breve nas mesmas instalações onde foram criadas as gerações anteriores do computador. “O novo Mac Pro incluirá componentes projetados, desenvolvidos e fabricados por mais de uma dúzia de empresas norte-americanas para distribuição aos clientes nos EUA”, afirmou em comunicado.

No início deste ano, o novo Mac Pro se tornou uma polêmica política, quando o Wall Street Journal informou que a Apple estava transferindo a produção para a China.

Fonte: Reuters 

publicidade