EnglishPortugueseSpanish

Analistas da empresa Morgan Stanley estimam que o mundo precisa de US$ 50 trilhões (aproximadamente R$ 200 trilhões), aplicados em cinco áreas de tecnologia até 2050, para reduzir as emissões e cumprir a meta do Acordo de Paris de interromper o aquecimento global.

De acordo com relatório divulgado, os analistas calcularam que, para reduzir as emissões líquidas de carbono para zero, o mundo teria que erradicar o equivalente a 53,5 bilhões de toneladas de dióxido de carbono por ano.

publicidade

As emissões de carbono de combustíveis fósseis atingiram um recorde em 2018, mas as estimativas em relação ao custo para manter a temperatura global apenas dois graus acima da atual, variam.

A Agência Internacional de Energia Renovável diz que são necessários US$ 750 bilhões (aproximadamente R$ 3 trilhões) por ano em energias renováveis ao longo de uma década. Cientistas das Nações Unidas dizem que US$ 300 bilhões (aproximadamente R$ 1,2 trilhão) gastos na recuperação de terras degradadas poderiam compensar as emissões, hangando tempo para implantar tecnologias de zero carbono.

O site Bloomberg compilou as estimativas da Morgan Stanley para as cinco principais áreas de tecnologia que são necessárias para cumprir com o Acordo de Paris.

Renováveis

publicidade

A geração de energia renovável exigirá US$ 14 trilhões (aproximadamente R$ 56 trilhões) até 2050, incluindo investimentos em armazenamento de energia. As energias renováveis precisariam ser responsáveis por fornecer cerca de 80% da energia consumida globalmente – atualmente, ela é responsável por 37% do fornecimento. A energia solar tem de se tornar a tecnologia renovável que mais cresce na próxima década, com uma taxa de crescimento anual composta de 13%.

Veículos elétricos

Com os carros de passeio atualmente sendo responsáveis por cerca de 7% dos gases do efeito estufa, serão necessários cerca de US$ 11 trilhões (aproximadamente R$ 44 trilhões) para construir fábricas, expandir a capacidade de energia e desenvolver baterias e infraestrutura necessárias para implementar os veículos elétricos. Com o aumento do investimento, as vendas anuais de veículos elétricos podem crescer de 1,3 milhão de unidades em 2018 para 23,2 milhões em 2030.

Captura e armazenamento de carbono

Seriam necessários quase US$ 2,5 trilhões (aproximadamente R$ 10 trilhões) de investimento em tecnologias que capturam e armazenam carbono. Enquanto atualmente o csuto é de cerca de US$ 700 milhões para capturar um milhão de toneladas de carbono por ano, o custo de construção de usinas deve cair 30% até 2050.

Hidrogênio

São necessários cerca de US$ 5,4 trilhões para que os eletrolisadores produzam o gás que pode ajudar a fornecer combustível limpo para a geração de energia, processos industriais, veículos e aquecimento.

Além disso, seriam necessários US$ 13 trilhões (aproximadamente R$ 52 trilhões) para aumentar a capacidade de uma fonte de energia renovável alimentar as usinas. Outro investimento de US$ 1 trilhão (R$ 4 trilhões) seria necessários para armazenamento, com investimento adicional em transporte e distribuição.

Biocombustíveis

Quase US$ 2,7 trilhões (aproximadamente R$ 10,8 trilhões) devem ser destinados a biocombustíveis como o etanol, que atualmente é misturado com derivados de petróleo. O etanol, biocombustível mais usado no momento, terá um crescimento de cerca de 3% ao ano, enquanto um tipo de combustível chamado óleo vegetal tratado com hidrogênio, alcançará um crescimento mais rápido, quadruplicando a produção até 2030.

Via: Bloomberg