Até o momento, são mais de 1.000 casos de pessoas diagnosticadas com uma “misteriosa doença pulmonar” devido ao uso de vaporizadores. Desse total, já foram registradas 33 mortes.

De acordo com uma pesquisa levantada pelo Los Angeles Times, o número de mortes é pequeno comparado ao número de pessoas que morrerão prematuramente por usarem vaporizadores e acabarem ficando viciadas em nicotina.

publicidade

A pesquisa determinou que certa de 495 mil americanos não fumantes, com idades entre 12 e 29 anos, acabaram se tornando fumantes regulares de cigarro. Quase meio milhão de pessoas que, se não fossem os vaporizadores, provavelmente não teriam começado a fumar.

O LA Times dividiu os números de como o tabagismo tende a causar mortes aplicou os dados a esse corte de 495 mil. Por exemplo, estatísticas existentes sobre as implicações do tabagismo na saúde sugerem que quase sete mil, dos 495 mil, morrerão prematuramente devido a um acidente vascular cerebral, e pouco mais de 44 mil morrerão de câncer de pulmão.

Obviamente, essas estatísticas não devem minimizar os impactos que o uso do vaporizador possui – não é porque causou um número menor de mortes, que ele é menos prejudicial. De qualquer forma, o objetivo do levantamento é alertar sobre o perigo que os usuários desses dispositivos estão correndo.

Via: Futurism