EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Segundo Brian Krebs, jornalista e investigador de segurança, o iPhone 11 Pro exibe um comportamento, no mínimo, curioso. Segundo ele, o novo celular da Apple tenta frequentemente obter a localização do usuário, mesmo quando o recurso está desabilitado nas configurações do aparelho.

A política de privacidade disponível na tela “serviços de localização” do iPhone diz: “Se os serviços de localização estiverem ativados, o iPhone enviará periodicamente as coordenadas geográficas de pontos de acesso Wi-Fi e torres de celular nas proximidades (quando suportados pelo um dispositivo) de forma anônima e criptografada para a Apple, para ampliar um banco de dados alimentado pelos usuários com a localização de hotspots Wi-Fi e torres de telefonia celular ”.

publicidade

Usuários podem desativar completamente os serviços de localização com um toque (navegando para Configurações > Privacidade > Serviços de localização e depois mudando “Serviços de localização” para “desativado”).

Segundo a Apple, quando isso é feito, o indicador de serviços de localização – uma pequena seta diagonal para cima à esquerda do ícone da bateria – não aparece mais, a menos que os Serviços de Localização sejam reativados.

A empresa informa que também é possível “desativar os serviços do sistema que usam localização tocando em Serviços do Sistema e desativando cada um individualmente”.

publicidade

Mas aparentemente existem alguns serviços do sistema no iPhone 11 Pro (e talvez em outros modelos) que solicitam dados de localização mesmo que desativados, pois o ícone de seta ainda aparece periodicamente mesmo após a desativação individual de todos os serviços que usam a localização.

Krebs compartilhou com a Apple um vídeo gravado em um iPhone 11 Pro novo que exemplifica o problema. Em resposta, a Apple afirmou: “não vemos implicações reais de segurança. É esperado que o ícone dos Serviços de Localização apareça na barra de status mesmo quando os Serviços de Localização estiverem ativados. O ícone aparece por causa de serviços do sistema que não estão listados nas Configurações”.

Ou seja, a Apple admite que há “algo” no iPhone 11 Pro que solicita frequentemente a localização do usuário, mesmo que este comportamento tenha sido explicitamente desativado nas configurações do sistema. Segundo Krebs, a empresa não respondeu a pedidos para explicar o que esse “algo” é.

Fonte: Krebs on Security